Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / De Autoajuda / 150 Conselhos para Atrair a Prosperidade
150 Conselhos para Atrair a Prosperidade

Livro: 150 Conselhos para Atrair a Prosperidade

Autor - Fonte: Arie Jakov Leib

Ir para a página:

...Arie Jakov Leib PREFÁCIO PENSAMENTO 1 Quem é verdadeiramente rico? Rabbi Meir disse: Aquele que deriva prazer de sua riqueza. Rabbi Tarfon disse: Aquele que tem cem vinhedos e cem campos, e cem empregados que trabalham neles. Rabbi Akiva disse: Qualquer um que tem uma esposa cujos modos sejam agradáveis Rabbi Yossi disse: Aquele que tem um toalete perto de sua mesa. (1) Na totalidade dos ensinamentos rabínicos pode-se encontrar a defesa da tese da moderação sábia. Ambos os extremos – a austeridade e o hedonismo – são censurados como nocivos. Nossos sábios nunca associaram nenhuma virtude à pobreza. Ao contrário. Está escrito: “Onde não há pão, não há Torah” (2). Esta é uma máxima que demonstra que a carência de sustento é um obstáculo muito grande para se atingir o conhecimento daquilo que é essencial no cumprimento da vontade Divina. Em outro lugar, está dito: “Pior é a pobreza na casa de um homem que cinqüenta pragas.” (3) . Os Rabinos percebem o valor do conforto na vida humana e dizem: “um lugar bonito, uma esposa bonita, móveis bonitos são meios que proporcionam ao homem uma boa mente“. (4) . A definição rabínica de um homem rico é: “aquele que deriva prazer de sua riqueza” (5). Conta-se a história que, devido a sua crítica à administração romana na Palestina, Rabi Shimon bar Yochai teve que esconder-se para salvar sua vida. Ele e seu filho se fecharam numa caverna durante doze anos. Ouvindo...
ue o rei morrera e o decreto de sua morte fora rescindido, ele saiu de seu esconderijo. Viu um homem arando e semeando a terra e exclamou: “abandonam a vida eterna e ocupam-se com vida coisas transitórias, sem nenhum valor”. Onde quer que ele e seu filho voltassem os olhos, tudo para que eles olhavam logo se incendiavam. Haviam vivido uma profunda experiência mística naquele período. Agora não se conformavam com a labuta diária dos seres humanos comuns em busca do sustento, dedicando, ao final, tão pouco ou quase nada aos valores espirituais. Ambos haviam suplantado as mínimas e básicas necessidades do ser humano através do mais profundo relacionamento com o divino. Foi então que uma voz dos céus dirigiu-se a eles, dizendo: “vocês deixaram aquela caverna para destruir meu mundo? Voltem já para lá !!!” (6). Ficara explícito, agora, que a manutenção da ordem social tem a aprovação de Deus. Isso significa, portanto, que o homem tem todo o direito de gozar os frutos de seu trabalho como recompensa por seu esforço. Porém, um grande cuidado há de ser tomado. Acumular riquezas para comprazer à luxúria, não está de acordo com a Sua vontade. “Quando Salomão erigiu o templo, ele disse ao Todo-Poderoso: ‘Soberano do Universo, se um homem rogar-te por abundância e Tu souberes que abusará dela, não lhe conceda. Porém, se Tu vês um homem usar suas riquezas para o bem, concede sua petição, tal como ele Te pede’ , pois, assim está dito: ‘ concede a cada homem conforme os seus próprios caminhos, porque Tu conheces o seu coração’ “ (7) Há uma abundância de significados na definição: “quem é rico? É aquele que se alegra com a sua porção, pois está dito: ‘quando você come o trabalho das tuas mãos, você é feliz e estará feliz consigo mesmo’ ” (8). Dizem os rabinos que a expressão “você é feliz” refere-se à vida neste mundo, e “estará feliz consigo mesmo” refere-se à vida no mundo vindouro. (9). Isso cristaliza o ponto de vista dos rabinos a respeito do mundo material. [1] TB Shabbat 25b. Os quatro rabinos mencionados nesta passagem foram tannaim do século II E.C , isto é, mestres mencionados na Mishnah [2] Pirkei Avot 3:21 [3] TB Baba Batra 116a [4] TB Berakhot 57b [5] TB Shabbat 25b [6] TB Shabbat 33b [7] II Cron. 6:30; Exod. Rabbah 31:5 [8] Salmos 127:2 [9] Pirkei Avot 4:1 PENSAMENTO 2 A um rabino muito justo foi permitido que visitasse o purgatório (em hebraico, chamado Guehinom) e o paraíso (GanEden). Primeiramente foi levado ao purgatório, de onde provinham os gritos mais horrendos dos rostos mais angustiados que já virá. Estavam todos sentados numa grande mesa. Sobre ela, se viam iguarias, comidas das mais deliciosas que se possa imaginar, com a prataria e a louça mais maravilhosa que jamais se vira. Não entendendo porque sofriam tanto, o rabino prestou mais atenção e viu que seus cotovelos estavam invertidos, de tal fo...
concede a cada homem conforme os seus próprios caminhos, porque Tu conheces o seu coração’ “ (7) Há uma abundância de significados na definição: “quem é rico? É aquele que se alegra com a sua porção, pois está dito: ‘quando você come o trabalho das tuas mãos, você é feliz e estará feliz consigo mesmo’ ” (8). Dizem os rabinos que a expressão “você é feliz” refere-se à vida neste mundo, e “estará feliz consigo mesmo” refere-se à vida no mundo vindouro. (9). Isso cristaliza o ponto de vista dos rabinos a respeito do mundo material. [1] TB Shabbat 25b. Os quatro rabinos mencionados nesta passagem foram tannaim do século II E.C , isto é, mestres mencionados na Mishnah [2] Pirkei Avot 3:21 [3] TB Baba Batra 116a [4] TB Berakhot 57b [5] TB Shabbat 25b [6] TB Shabbat 33b [7] II Cron. 6:30; Exod. Rabbah 31:5 [8] Salmos 127:2 [9] Pirkei Avot 4:1 PENSAMENTO 2 A um rabino muito justo foi permitido que visitasse o purgatório (em hebraico, chamado Guehinom) e o paraíso (GanEden). Primeiramente foi levado ao purgatório, de onde provinham os gritos mais horrendos dos rostos mais angustiados que já virá. Estavam todos sentados numa grande mesa. Sobre ela, se viam iguarias, comidas das mais deliciosas que se possa imaginar, com a prataria e a louça mais maravilhosa que jamais se vira. Não entendendo porque sofriam tanto, o rabino prestou mais atenção e viu que seus cotovelos estavam invertidos, de tal forma que não podiam dobrar os braços e levar aquelas delícias às suas bocas. O rabino foi levado ao paraíso, onde se ouvia deliciosas gargalhadas e onde reinava um clima de festa. Porém, ao observar, para sua surpresa, encontrou o mesmo ambiente: todos sentados à mesma mesa que vira no purgatório, contendo as mesmas iguarias, as mesmas louças e os mesmos cotovelos invertidos. Mas ali havia um detalhe muito especial: cada um levava a comida à boca do outro. Ao bom entendedor, meia palavra basta. Deixo aqui meus votos de que os leitores deste trabalho sejam abençoados pelos Céus com muita luz e interminável sabedoria ARIE JACOB LEIB OS SETE DEGRAUS DA RIQUEZA E DA PROSPERIDADE DEGRAU 1 Ousando ser o que você sempre desejou Se você é daqueles que sofrem de problemas econômicos, você deve procurar atrair para dentro de sua vida muito mais dinheiro. Por quê ? É simples, a falta de dinheiro pode causar sofrimento, ansiedade, depressão e obstruir o seu desenvolvimento também nos demais campos da vida. Mas isso não é tudo. Você deve saber “fazer” dinheiro com alegria e com amor, observando regras de equilíbrio e sensatez. A princípio, observe uma lição fundamental: dinheiro é algo que deve fluir até você a partir de coisas e meios que você gosta de fazer. Só o dinheiro que você faz com amor pode lhe dar a verdadeira satisfação, além da necessidade de sobreviver. Você deve co...
rma que não podiam dobrar os braços e levar aquelas delícias às suas bocas. O rabino foi levado ao paraíso, onde se ouvia deliciosas gargalhadas e onde reinava um clima de festa. Porém, ao observar, para sua surpresa, encontrou o mesmo ambiente: todos sentados à mesma mesa que vira no purgatório, contendo as mesmas iguarias, as mesmas louças e os mesmos cotovelos invertidos. Mas ali havia um detalhe muito especial: cada um levava a comida à boca do outro. Ao bom entendedor, meia palavra basta. Deixo aqui meus votos de que os leitores deste trabalho sejam abençoados pelos Céus com muita luz e interminável sabedoria ARIE JACOB LEIB OS SETE DEGRAUS DA RIQUEZA E DA PROSPERIDADE DEGRAU 1 Ousando ser o que você sempre desejou Se você é daqueles que sofrem de problemas econômicos, você deve procurar atrair para dentro de sua vida muito mais dinheiro. Por quê ? É simples, a falta de dinheiro pode causar sofrimento, ansiedade, depressão e obstruir o seu desenvolvimento também nos demais campos da vida. Mas isso não é tudo. Você deve saber “fazer” dinheiro com alegria e com amor, observando regras de equilíbrio e sensatez. A princípio, observe uma lição fundamental: dinheiro é algo que deve fluir até você a partir de coisas e meios que você gosta de fazer. Só o dinheiro que você faz com amor pode lhe dar a verdadeira satisfação, além da necessidade de sobreviver. Você deve co...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google