Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Terapias / Para Além do Falo
Para Além do Falo

Livro: Para Além do Falo

Autor - Fonte: Teresa Brennan

Ir para a página:

...Sumário Prefácio 7 Introdução 9 Teresa Brennan Prefácio tem por base uma série de quinze seminários realizados na Universidade de Cambridge, no King`s College e na Faculdade de Ciências Sociais e Políticas, entre janeiro e julho de 1987. A série foi organizada numa tentativa de explorar os debates freqüentemente intensos que surgiram em torno da psicanálise, especialmente a do tipo lacaniano, e o feminismo. As mulheres que apresentaram os seminários estão identificadas com posições teóricas distintas, e às vezes opostas, nesses debates. Majoritariamente, os debates dizem respeito ao essencialismo, ao tipo de lei simbólica que a cultura requer, à diferença sexual, ao grau de patriarcalismo inerente do conhecimento e à prática e uso político da psicanálise para o feminismo. Os debates-chave da série também estruturam esse livro. Meus primeiros agradecimentos vão para as mulheres, protagonistas principais dos debates, vindas da Índia, dos Estados Unidos, da França e de outros pontos da Inglaterra, muitas vezes interrompendo suas próprias programações intensivas para comparecer. TMB PRIMEIRA PARTE: A história até o presente 1 Andando para trás ou para a frente 43 Jane Gallop 2 Doida ainda, depois desses anos todos 61 Rachel Bowlby SEGUNDA PARTE: A história enquadrada num contexto institucional 3 A política da impenetrabilidade 91 Lisa Jardine 4 Notas para uma análise 103 Alice Jardine TERCEIRA PARTE: Por o...
tro simbólico (1): a coisa essencial 5 A política da diferença ontológica 123 Rosi Braidotti 6 Releitura de Irigaray 145 Margaret Whitford 7 O gesto na psicanálise 171 Luce Irigaray QUARTA PARTE; Por outro simbólico (2): para além do falo 8 Crítica feminista inteiramente pós-moderna 189 Elizabeth Wright 9 "O `simbólico` deles existe, detém poder — nós, as semeadoras da desordem, o conhecemos bem demais" 205 Morag Shiach 10 Eco e Narciso 225 Naomi Segal QUINTA PARTE: Diferença sexual (1): razão e revolução 11 Pensamento patriarcal e a pulsão de conhecimento 253 Toril Moi 12 Feminismo e desconstrução, de novo: negociando com o masculinismo inconfesso 277 Gayatri Chakravorty Spivak SEXTA PARTE: Diferença sexual (2): o psíquico no social 13 Para dar um corte 305 Joan Copjec 14 A servidão feminina 333 Parveen Adams Notas sobre as colaboradoras 359 A Numeração de páginas do Sumário corresponde ao original impresso. PS: As páginas estão numeradas de acordo com o documento original, indicando sempre o final de cada uma, entre colchetes. Prefácio Para além do falo tem por base uma série de quinze seminários realizados na Universidade de Cambridge, no King`s College e na Faculdade de Ciências Sociais e Políticas, entre janeiro e julho de 1987. A série foi organizada numa tentativa de explorar os debates freqüentemente intensos que surgiram em torno da psicanálise, especialmente a do tipo lacaniano, e o feminismo. As mulheres que apresentaram os seminários estão identificadas com posições teóricas distintas, e às vezes opostas, nesses debates. Majoritariamente, os debates dizem respeito ao essencialismo, ao tipo de lei simbólica que a cultura requer, à diferença sexual, ao grau de patriarcalismo inerente do conhecimento e à prática e uso político da psicanálise para o feminismo. Os debates-chave da série também estruturam esse livro. Meus primeiros agradecimentos vão para as mulheres, protagonistas principais dos debates, vindas da Índia, dos Estados Unidos, da França e de outros pontos da Inglaterra, muitas vezes interrompendo suas próprias programações intensivas para comparecer. Até onde os debates sobre psicanálise e feminismo têm um ponto de partida comum, este ponto é a preocupação do feminismo com a transformação social: uma questão política, nominalmente apropriada para docentes de ciências sociais e políticas. Mas as colaboradoras são principalmente teóricas de literatura; somente duas dentre elas têm antecedentes nas ciências sociais. E o público é oriundo não só da sociologia e da política como ainda de línguas modernas e medievais, do inglês, dos estudos clássicos e assim por diante, cobrindo todo o espectro disciplinar. O alcance interdisciplinar e o apelo do feminismo estão estabelecidos; evidentemente, quando o feminismo está ligado à psicanálise, não estão limitados [pág. 7] Não seria possíve...
iano, e o feminismo. As mulheres que apresentaram os seminários estão identificadas com posições teóricas distintas, e às vezes opostas, nesses debates. Majoritariamente, os debates dizem respeito ao essencialismo, ao tipo de lei simbólica que a cultura requer, à diferença sexual, ao grau de patriarcalismo inerente do conhecimento e à prática e uso político da psicanálise para o feminismo. Os debates-chave da série também estruturam esse livro. Meus primeiros agradecimentos vão para as mulheres, protagonistas principais dos debates, vindas da Índia, dos Estados Unidos, da França e de outros pontos da Inglaterra, muitas vezes interrompendo suas próprias programações intensivas para comparecer. Até onde os debates sobre psicanálise e feminismo têm um ponto de partida comum, este ponto é a preocupação do feminismo com a transformação social: uma questão política, nominalmente apropriada para docentes de ciências sociais e políticas. Mas as colaboradoras são principalmente teóricas de literatura; somente duas dentre elas têm antecedentes nas ciências sociais. E o público é oriundo não só da sociologia e da política como ainda de línguas modernas e medievais, do inglês, dos estudos clássicos e assim por diante, cobrindo todo o espectro disciplinar. O alcance interdisciplinar e o apelo do feminismo estão estabelecidos; evidentemente, quando o feminismo está ligado à psicanálise, não estão limitados [pág. 7] Não seria possível agradecer a todas as mulheres e a todos os homens que a cada quinzena compareceram para ouvir, questionar, argumentar e ampliar. Os nomes seguintes são mencionados apenas em razão de suas perguntas abalizadas, e em especial por variadas ações práticas e úteis: Malcolm Bowie, Ann Caesar, Stephen Coles, Silvana Dean, Ben K. Fred-Mensah, Helena Gaunt, Helen Gibson, Anthony Giddens, Simon Goldhill, David Good, Felicia Gordon, Sarah Greaves, Elizabeth Guild, Stephen Heath, John Henderson, Pam Hirsch, Sarah Kay, Michael Moriarty, Christopher Prendergast, Suzanne Raitt, Morag Shiach, Naomi Segai, Patricia Touton-Victor, Janet Todd, Phyllis Tralka, Cathy Urwin, Margaret Whitford e Alison Young. Agradecimentos especiais a Elizabeth Guild que, durante a estada de Luce Irigaray em Cambridge, atuou assiduamente como intérprete, além de traduzir-lhe o artigo. Cathy Urwin também apresentou nesta série um ensaio, que infelizmente não estava disponível para publicação aqui. A série foi principalmente apoiada pelo King`s College e pela Faculdade de Ciências Sociais e Políticas; apoio adicional foi proporcionado pela Delegação Cultural Francesa em Cambridge, e por Clare Hall. O evento foi concebido em discussões com Jennifer Jarman e Ingrid Scheibler, que me ajudaram a organizá-lo, e cujo entusiasmo, empenho e talento o transformaram numa aventura e num prazer. Sem elas os seminários não teriam ocorrido, nem, conseqüentemente, este livro. Na produção do livro prop...
l agradecer a todas as mulheres e a todos os homens que a cada quinzena compareceram para ouvir, questionar, argumentar e ampliar. Os nomes seguintes são mencionados apenas em razão de suas perguntas abalizadas, e em especial por variadas ações práticas e úteis: Malcolm Bowie, Ann Caesar, Stephen Coles, Silvana Dean, Ben K. Fred-Mensah, Helena Gaunt, Helen Gibson, Anthony Giddens, Simon Goldhill, David Good, Felicia Gordon, Sarah Greaves, Elizabeth Guild, Stephen Heath, John Henderson, Pam Hirsch, Sarah Kay, Michael Moriarty, Christopher Prendergast, Suzanne Raitt, Morag Shiach, Naomi Segai, Patricia Touton-Victor, Janet Todd, Phyllis Tralka, Cathy Urwin, Margaret Whitford e Alison Young. Agradecimentos especiais a Elizabeth Guild que, durante a estada de Luce Irigaray em Cambridge, atuou assiduamente como intérprete, além de traduzir-lhe o artigo. Cathy Urwin também apresentou nesta série um ensaio, que infelizmente não estava disponível para publicação aqui. A série foi principalmente apoiada pelo King`s College e pela Faculdade de Ciências Sociais e Políticas; apoio adicional foi proporcionado pela Delegação Cultural Francesa em Cambridge, e por Clare Hall. O evento foi concebido em discussões com Jennifer Jarman e Ingrid Scheibler, que me ajudaram a organizá-lo, e cujo entusiasmo, empenho e talento o transformaram numa aventura e num prazer. Sem elas os seminários não teriam ocorrido, nem, conseqüentemente, este livro. Na produção do livro prop...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google