Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / De Autoajuda / A Arte da Felicidade
A Arte da Felicidade

Livro: A Arte da Felicidade

Autor - Fonte: Dalai Lama e Howard C. Cutler

Ir para a página:

...Um manual para a vida DE SUA SANTIDADE, O DALAI-LAMA e HOWARD C. CUTLER Tradução WALDÉA BARCELLOS Esta obra foi publicada originalmente em inglês com o título THE ART OF HAPPINESS par Riverhead Books. Copyright © 1998 by HH Dalai Lama and Howard C. Cutler, M.D. Copyright © Livraria Martins Fontes Editora Ltda. São Paulo. 2000, para a presente edição. 1ª edição 2000 14ª tiragem 2008 Tradução WALDÉA BARCELLOS Revisão gráfica Ivany Picasso Batitsta Márcia da Cruz Nóboa Leme Produção gráfica Geraldo Alves Paginação/Fotolitos Studio 3 Desenvolvimento Editorial Capa Lisa Amoroso Foto da Capa His Holiness the Dalai Lama © Dan Farber Índices para catálogo sistemático: 1. Vida religiosa: Budismo 294.3444 Todos os direitos para o Brasil reservados à Livraria Martins Fontes Editora Ltda. Rua Conselheiro Ramalho, 330 01325-00 São Paulo SP Brasil Tel. (11) 3241-3677 Fax (11) 3105-6993 e-mail: info@martinsfonteseditora.com.br http://www.martinsfonteseditora.com Dedicado ao leitor: Que você encontre a felicidade INDICE Nota do autor IX Introdução 1 PRIMEIRA PARTE: O PROPÓSITO DA VIDA 11 Capítulo 1 O direito à felicidade 1,3 Capítulo 2 As fontes da felicidade 20 Capítulo 3 O treinamento da mente para a felicidade 41 Capítulo 4 O resgate do nosso estado inato de felicidade 58 SEGUNDA PARTE: O CALOR HUMANO E A COMPAIXÀO 73 Capítulo 5 Um novo modelo para a intimi...
ade 75 Capítulo 6 O aprofundamento da nossa ligação com os outros 95 Capítulo 7 O valor e os benefícios da compaixão 127 TERCEIRA PARTE: A TRANSFORMAÇÃO DO SOFRIMENTO 147 Capítulo 8 Como encarar o sofrimento 149 Capítulo 9 O sofrimento criado pela própria pessoa 168 Capítulo 10 A mudança de perspectiva 194 Capítulo 11 A descoberta do significado na dor e no sofrimento 225 QUARTA PARTE: A SUPERAÇÃO DE OBSTÁCULOS 2415 Capítulo 12 A realização de mudanças 247 Capítulo 13 Como lidar com a raiva e o ódio 278 Capítulo 14 Como lidar com a ansiedade e reforçar o amor-próprio 297 QUINTA PARTE: REFLEXÕES FINAIS SOBRE COMO LEVAR UMA VIDA ESPIRITUAL 329 Capítulo 15 Valores espirituais essenciais 331 Agradecimentos 359 Obras selecionadas de autoria de Sua Santidade, o Dalai-Lama 363 NOTA DO AUTOR N este livro estão relatadas longas conversas com o Dalai-Lama. Os encontros pessoais com o Dalai-Lama no Arizona e na Índia, que constituem a base desta obra, foram realizados com o objetivo expresso da colaboração num projeto que apresentaria suas opiniões sobre como levar uma vida mais feliz, acrescidas das minhas próprias observações e comentários a partir da perspectiva de um psiquiatra ocidental. O Dalai-Lama permitiu com generosidade que eu escolhesse para o livro o formato que a meu ver transmitiria melhor suas idéias. Considerei que a narrativa encontrada nestas páginas proporcionaria uma leitura mais agradável e ao mesmo tempo passaria uma noção de como o Dalai-Lama põe em prática suas idéias na própria vida diária. Com a aprovação do Dalai-Lama, organizei este livro de acordo com o tema tratado; e assim, ocasionalmente, decidi combinar e associar material que pode ter sido extraído de conversas variadas. Da mesma forma, também com a permissão do Dalai-Lama, nos trechos em que considerei necessário para fins de clareza e compreensão, entremeei trechos de algumas das suas palestras ao público no Arizona. O intérprete do Dalai-Lama, o dr. Thupten Jinpa, gentilmente fez a revisão da versão final dos originais com o intuito de se assegurar de que não houvesse, em decorrência do processo de organização, nenhuma distorção inadvertida das idéias do Dalai-Lama. Uma série de descrições de casos e relatos pessoais foi apresentada para ilustrar as idéias em pauta. Com o objetivo de manter a confidencialidade e proteger a privacidade dos envolvidos, em todos os casos alterei os nomes, detalhes e outras características particulares, de modo que impedisse a identificação dos indivíduos. DR. HOWARD C. CUTLER INTRODUÇÃO E ncontrei o Dalai-Lama sozinho num vestiário de basquetebol pouco antes da hora em que se apresentaria para falar a uma multidão de seis mil pessoas na Arizona State University. Bebericava calmamente seu chá, em perfeita serenidade. — Se Vossa Santidade estiver pronto. Ele se levantou, animado, e saiu do vestiári...
adável e ao mesmo tempo passaria uma noção de como o Dalai-Lama põe em prática suas idéias na própria vida diária. Com a aprovação do Dalai-Lama, organizei este livro de acordo com o tema tratado; e assim, ocasionalmente, decidi combinar e associar material que pode ter sido extraído de conversas variadas. Da mesma forma, também com a permissão do Dalai-Lama, nos trechos em que considerei necessário para fins de clareza e compreensão, entremeei trechos de algumas das suas palestras ao público no Arizona. O intérprete do Dalai-Lama, o dr. Thupten Jinpa, gentilmente fez a revisão da versão final dos originais com o intuito de se assegurar de que não houvesse, em decorrência do processo de organização, nenhuma distorção inadvertida das idéias do Dalai-Lama. Uma série de descrições de casos e relatos pessoais foi apresentada para ilustrar as idéias em pauta. Com o objetivo de manter a confidencialidade e proteger a privacidade dos envolvidos, em todos os casos alterei os nomes, detalhes e outras características particulares, de modo que impedisse a identificação dos indivíduos. DR. HOWARD C. CUTLER INTRODUÇÃO E ncontrei o Dalai-Lama sozinho num vestiário de basquetebol pouco antes da hora em que se apresentaria para falar a uma multidão de seis mil pessoas na Arizona State University. Bebericava calmamente seu chá, em perfeita serenidade. — Se Vossa Santidade estiver pronto. Ele se levantou, animado, e saiu do vestiário sem hesitar, dando com a turba apinhada nos bastidores, composta de repórteres da cidade, fotógrafos, seguranças e estudantes — os que procuram, os curiosos e os céticos. Caminhou em meio à multidão com um largo sorriso; e cumprimentava as pessoas à medida que avançava. Finalmente, passou por uma cortina” apareceu no palco, fez uma reverência, uniu as mãos e sorriu. Foi recebido com um aplauso ensurdecedor. A pedido seu, a iluminação não foi reduzida, de modo que ele pudesse ver a platéia com nitidez. E, por alguns instantes, ficou simplesmente ali parado, observando o público em silêncio com uma expressão inconfundível de carinho e boa vontade. Para quem nunca tinha visto o Dalai-Lama antes, suas vestes de monge de um marrom-avermelhado e da cor do açafrão podem ter causado uma impressão um pouco exótica. No entanto, sua notável capacidade para estabelecer contato com o público logo se revelou quando ele sentou e começou a palestra. — Creio ser esta a primeira vez que vejo a maioria de vocês. Mas, para mim, não faz mesmo muita diferença se estou falando com um velho amigo ou com um novo porque sempre acredito que somos iguais: somos todos seres humanos. É claro que pode haver diferenças de formação cultural ou estilo de vida; pode haver diferenças quanto à nossa fé; ou podemos ser de uma cor diferente; mas somos seres humanos, constituídos do corpo humano e da mente humana. Nossa estrutura física é a mesma; e nossa mente e noss...
o sem hesitar, dando com a turba apinhada nos bastidores, composta de repórteres da cidade, fotógrafos, seguranças e estudantes — os que procuram, os curiosos e os céticos. Caminhou em meio à multidão com um largo sorriso; e cumprimentava as pessoas à medida que avançava. Finalmente, passou por uma cortina” apareceu no palco, fez uma reverência, uniu as mãos e sorriu. Foi recebido com um aplauso ensurdecedor. A pedido seu, a iluminação não foi reduzida, de modo que ele pudesse ver a platéia com nitidez. E, por alguns instantes, ficou simplesmente ali parado, observando o público em silêncio com uma expressão inconfundível de carinho e boa vontade. Para quem nunca tinha visto o Dalai-Lama antes, suas vestes de monge de um marrom-avermelhado e da cor do açafrão podem ter causado uma impressão um pouco exótica. No entanto, sua notável capacidade para estabelecer contato com o público logo se revelou quando ele sentou e começou a palestra. — Creio ser esta a primeira vez que vejo a maioria de vocês. Mas, para mim, não faz mesmo muita diferença se estou falando com um velho amigo ou com um novo porque sempre acredito que somos iguais: somos todos seres humanos. É claro que pode haver diferenças de formação cultural ou estilo de vida; pode haver diferenças quanto à nossa fé; ou podemos ser de uma cor diferente; mas somos seres humanos, constituídos do corpo humano e da mente humana. Nossa estrutura física é a mesma; e nossa mente e noss...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google