Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Terapias / Sonhos - Mensagens da alma
Sonhos - Mensagens da alma

Livro: Sonhos - Mensagens da alma

Autor - Fonte: Adenáuer Marcos Ferraz de Novaes

Ir para a página:

...Capa de Revisão: Hugo Pinto Homem e Jacqueline Sampaio Copyright ã1998 by Fundação Lar Harmonia Rua da Fazenda, nº 13, Piatã, Salvador-BA. CEP 41.650-020. Telefax (71) 286-7796 livros@larharmonia.org.br www.larharmonia.org.br Impresso no Brasil Todo o produto desta obra é destinado à manutenção das obras da Fundação Lar Harmonia 3 Adenáuer Novaes Sonhos: mensagens da alma FUNDAÇÃO LAR HARMONIA C.G.C. (MF) 00.405.171/0001-09 Rua da Fazenda, nº 13, Piatã. 41.650-020.– Salvador – Bahia – Brasil 2001 4 Novaes, Adenáuer Marcos Ferraz de Sonhos: mensagens da alma Salvador: Fundação Lar Harmonia, 2001 276p. 1. Sonhos. I. Novaes, Adenáuer Marcos Ferraz de, 1955. - II. Título. CDU – CDD – 154.63 Índice para catálogo sistemático: 1. Sonhos : Psicologia 154.63 5 Àqueles que sonham e objetivam sua realidade. “.revelam apenas a “fímbria da consciência”, como o brilho pálido das estrelas durante um eclipse total do Sol.” C. G. Jung. “Eu tenho um sonho.” Martin Luther King Júnior. Trecho de seu famoso discurso em 28.08.63, para cerca de 200.000 pessoas na marcha pelos direitos civis dos negros em Washington. A Rosângela, Camila, Juliana e Diego, esposa e filhos queridos, sonhos que se tornaram realidade. 6 Página em branco 7 Índice Prefácio 09 Conceitos preliminares 15 O significado dos sonhos 25 Dormir: estar desperto para uma realidade plena 30 Pesquisas sobre sonhos 34 O que é...
sonho (resumo histórico) 43 Os sonhos em Jung 49 Quem é o sujeito dos sonhos 68 Influência de substâncias químicas sobre os sonhos 72 Como anotar os sonhos 75 Como lembrar dos sonhos 77 Porque esquecemos dos sonhos 82 Como continuar a sonhar um sonho interrompido 84 O simbolismo e a linguagem dos sonhos 86 A estrutura do sonho 101 Sonhos repetitivos 104 Somatização dos sonhos 106 Das imagens à interpretação descritiva na linguagem do consciente 109 Como interpretar os sonhos 112 Amplificações dos sonhos 127 8 Uma análise freudiana 130 Utilidade dos sonhos 141 Sonhos em terapia 145 Sonhos antes e depois da primeira sessão da terapia 152 A depressão e a ansiedade nos sonhos 154 O medo nos sonhos 156 A culpa nos sonhos 158 A sombra nos sonhos 160 Uma análise espírita 163 Sonhos com mortos e com a morte 184 Os “pesadelos” 188 Desdobramentos e sonhos 195 Sonhos na Bíblia 203 Sonhos prospectivos 205 Sonhos eróticos 207 A série de sonhos 212 Uma análise segundo a Gestalt-Terapia 214 Uma análise segundo a Psicossíntese 217 Uma visão Transpessoal 219 Sonhos no processo de individuação 224 Formas de se trabalhar os sonhos 227 Sonhos criativos 230 Sonhos premonitórios ou proféticos 232 Sonhos compensatórios 236 Sonhos na gravidez 239 Sonhos dentro de sonhos 243 Os sonhos e a arte 245 Reflexões finais 249 Bibliografia 257 9 Prefácio Sempre notei em meus seminários sobre o “Despertar da Consciência”, a mudança de interesse das pessoas quando abordava a análise e interpretação dos sonhos. O tema, quando surgia, provocava imediato interesse e fazia mudar o rumo dos assuntos. Isso me motivou a incluir no ciclo de temas da Fundação Lar Harmonia um seminário específico sobre sonhos, levando-me a escrever mais sobre o assunto. Não tenho a pretensão de trazer tudo sobre os sonhos, pois o tema é extremamente vasto e complexo. Aqui o abordo de forma sintética em face do pouco que conheço sobre o seu sentido e significado. O leitor poderá buscar uma melhor compreensão indo direto às fontes onde me inspirei, constantes na bibliografia ao final, e, principalmente, na obra de C. G. Jung. O crescente interesse pelos sonhos em nosso século e o aumento de estudos e publicações sobre o tema são reflexos de uma mudança paradigmática que está ocorrendo em nossa civilização. A crescente valorização do feminino, o aumento da subjetividade, a procura pelas artes, o surgimento de uma nova Física, as abordagens holísticas e transpessoais são, dentre outros fatores, responsáveis por essa revolução no campo da Psicologia 10 que, de uma forma ainda acanhada e lenta, tenta alcançar os avanços da ciência psíquica. A vulgarização dos estudos sobre os sonhos parece também revelar essa mudança de paradigmas. O tema, então restrito aos psicólogos e médicos, alcança o domínio público, interessando cada vez mais o ser humano comum, d...
, a mudança de interesse das pessoas quando abordava a análise e interpretação dos sonhos. O tema, quando surgia, provocava imediato interesse e fazia mudar o rumo dos assuntos. Isso me motivou a incluir no ciclo de temas da Fundação Lar Harmonia um seminário específico sobre sonhos, levando-me a escrever mais sobre o assunto. Não tenho a pretensão de trazer tudo sobre os sonhos, pois o tema é extremamente vasto e complexo. Aqui o abordo de forma sintética em face do pouco que conheço sobre o seu sentido e significado. O leitor poderá buscar uma melhor compreensão indo direto às fontes onde me inspirei, constantes na bibliografia ao final, e, principalmente, na obra de C. G. Jung. O crescente interesse pelos sonhos em nosso século e o aumento de estudos e publicações sobre o tema são reflexos de uma mudança paradigmática que está ocorrendo em nossa civilização. A crescente valorização do feminino, o aumento da subjetividade, a procura pelas artes, o surgimento de uma nova Física, as abordagens holísticas e transpessoais são, dentre outros fatores, responsáveis por essa revolução no campo da Psicologia 10 que, de uma forma ainda acanhada e lenta, tenta alcançar os avanços da ciência psíquica. A vulgarização dos estudos sobre os sonhos parece também revelar essa mudança de paradigmas. O tema, então restrito aos psicólogos e médicos, alcança o domínio público, interessando cada vez mais o ser humano comum, desacostumado com os livros clássicos e descompromissado com teorias complexas e que, muitas vezes, não têm sustentação prática. Os sonhos, sobretudo os premonitórios, suscitam o interesse público e provocam o abandono de teorias preconcebidas cuja preocupação básica é a negação de sua possibilidade ou o engessamento a dogmas ultrapassados. Todos sonham, seja de forma premonitória ou não, e isso é incontestável face à sua comprovação científica, o que nivela coletivamente os seres humanos num padrão único de atividade psíquica, sem distinção de qualquer natureza. Pode-se dizer que o fato de todos sonharmos estabelece uma conexão transcendente entre nós. O desejo de que algo futuro se realize, tendo sido tomado popularmente como sendo um sonho, transformou o termo (sonho) em sinônimo de algo quimérico ou fantasioso. Em alguns idiomas, a origem da palavra está associada aos termos “errante” e “vagabundear”, porém isso não altera o significado verdadeiro e real dos sonhos. Muito embora paire uma atmosfera de irrealidade quando se comenta sobre sonhos, sobretudo entre leigos, eles expressam, de forma sincera e objetiva, sem subterfúgios ou dissimulações, o estado real do psiquismo do indivíduo. Neste trabalho evitei apresentar casos ou análises de sonhos de meus pacientes, a fim de não estimular certas identificações que geralmente se fazem e que levam alguns a acreditar que as interpretações sempre fun...
esacostumado com os livros clássicos e descompromissado com teorias complexas e que, muitas vezes, não têm sustentação prática. Os sonhos, sobretudo os premonitórios, suscitam o interesse público e provocam o abandono de teorias preconcebidas cuja preocupação básica é a negação de sua possibilidade ou o engessamento a dogmas ultrapassados. Todos sonham, seja de forma premonitória ou não, e isso é incontestável face à sua comprovação científica, o que nivela coletivamente os seres humanos num padrão único de atividade psíquica, sem distinção de qualquer natureza. Pode-se dizer que o fato de todos sonharmos estabelece uma conexão transcendente entre nós. O desejo de que algo futuro se realize, tendo sido tomado popularmente como sendo um sonho, transformou o termo (sonho) em sinônimo de algo quimérico ou fantasioso. Em alguns idiomas, a origem da palavra está associada aos termos “errante” e “vagabundear”, porém isso não altera o significado verdadeiro e real dos sonhos. Muito embora paire uma atmosfera de irrealidade quando se comenta sobre sonhos, sobretudo entre leigos, eles expressam, de forma sincera e objetiva, sem subterfúgios ou dissimulações, o estado real do psiquismo do indivíduo. Neste trabalho evitei apresentar casos ou análises de sonhos de meus pacientes, a fim de não estimular certas identificações que geralmente se fazem e que levam alguns a acreditar que as interpretações sempre fun...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google