Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Espíritas / A Levitação
A Levitação

Livro: A Levitação

Autor - Fonte: Albert De Rochas

Ir para a página:

...- Albert De Rochas uma antiga família que possuiu o feudo d'Aiglun, perto de Digne, desde o meado do século XV até a época da Revolução em 1789. Depois de ter feito brilhantes estudos literários no Liceu de Grenoble, começou a estudar o Direito para entrar na ma¬gistratura, como seu pai e seu avo; porém, não sendo o estudo das leis suficiente para a sua atividade intelectual, ele passou a estudar outras ciências. Em 1836 obteve o prêmio de honra de matemáticas especiais e, no ano seguinte, foi recebido na Escola Politécnica de Paris. Em 1861 entrou para o Exército na qualidade de tenente de engenheiros, promo¬vido a capitão por merecimento em 1864, tomou parte na guerra de 1870-71, e foi nomeado comandante de batalhão em 1880. A fim de entregar-se com maior liberdade aos trabalhos cien¬tíficos a que era afeiçoado, deixou prematuramente em 1889 o serviço militar ativo, e entrou para a Escola Politécnica na qualidade de diretor civil, passando para a reserva com o posto de tenente-coronel. Os trabalhos militares e científicos do Coronel de Rochas são consideráveis; conhecendo a fundo tudo o que tem sido escrito sobre as ciências psíquicas, experimentador consumado, contribuiu em larga escala para fazer classificar o magnetismo entre as ciências puramente físicas. Estudou a polaridade, contribuiu para a classificação atual das fases do sonambu¬lismo, observou metodicamente os fenômenos espíritas, desco¬briu a exterioriza...
ão da sensibilidade que não era suspeitada e mostrou o mecanismo do desdobramento físico. Membro de várias sociedades sábias, oficial da Legião de Honra, da Instrução Pública, de São Salvador (Grécia), e das Ordens de São Maurício e São Lázaro (Itália); comendador das Ordens da Sant'Ana (Rússia), do Mérito Militar (Espanha), de Medjidié (Turquia), de Nicham (Túnis), do Dragão Verde (Anam), o Coronel de Rochas é um dos sábios a quem o Espi¬ritualismo e o Magnetismo contemporâneo mais devem. O presente volume, conquanto se subordine ao título geral da sua obra A Levitação, compreende não só alguns outros pequenos trabalhos do mesmo autor (Os Limites da Física, A Física da Magia, e parte da sua introdução ao livro Os Eflúvios Ódicos), mas ainda o trabalho do Sr. Dr. Carl du Prel sobre 2 Gravitação e Levitação, tendo o Sr. de Rochas permitido e recomendado especialmente essa compilação, em carta que se dignou dirigir-nos. A levitação é o erguimento espontâneo dum corpo no es¬paço. De todos os fenômenos psíquicos não há certamente nenhum que pareça mais em contradição com o que se chamam leis da Natureza, e, entretanto nenhum outro se presta menos à fraude. Desde tempos imemoriais tem constatado fenômenos de levitação em todos os países; as histórias religiosas de todos os países assinalam numerosos casos de levitação de seus Santos, e hoje, às pessoas que gozam dessa faculdade, chamam-se médiuns. Em apoio dessas linhas mencionaremos o que nos diz Apollonius de Tyana: Vi, diz ele, esses brâmanes da Índia que habitam sobre a terra e que aqui não habitam que têm uma cidadela sem muralhas e que nada possuem, e, entretanto possuem tudo. Deve-se compreender por essas pa¬lavras: que habitam sobre a terra e que aqui não habitam, o fenômeno de levitação. A ciência dos brâmanes lhe foi perfei¬tamente ministrada logo que estes conheceram o fim da sua visita. Assim que ele chegou à sua presença, o chefe lhe disse: Os outros homens necessitam perguntar aos estranhos quem eles são, donde vêm e o que desejam. Nós, pelo contrário, como primeira prova da nossa ciência, já sabemos tudo isso; julgai-o por vós mesmo. O clarividente contou então a Apol¬lonius os principais acontecimentos da sua vida, falou-lhe da sua família, de seu pai, de sua mãe, do que ele tinha feito, etc., etc. Apollonius, cheio de admiração, suplicou então aos brâma¬nes que o iniciassem nessa ciência tão profunda, tão sobre-hu¬mana, o que lhe foi concedido. Depois de ter completado seus anos de provas, voltou à Europa, onde sua clarividência e as curas que fez maravilharam a todo o mundo. Eis agora uma tentativa de explicação dos fenômenos de levitação, segundo o Sr. Ernest Bosc, autor de diversas obras de ciência oculta: Sabe-se que a Terra é um imenso ímã; diversos sábios o tem dito, entre outros, Paracelso. A Terra está portanto carregada du...
uns. Em apoio dessas linhas mencionaremos o que nos diz Apollonius de Tyana: Vi, diz ele, esses brâmanes da Índia que habitam sobre a terra e que aqui não habitam que têm uma cidadela sem muralhas e que nada possuem, e, entretanto possuem tudo. Deve-se compreender por essas pa¬lavras: que habitam sobre a terra e que aqui não habitam, o fenômeno de levitação. A ciência dos brâmanes lhe foi perfei¬tamente ministrada logo que estes conheceram o fim da sua visita. Assim que ele chegou à sua presença, o chefe lhe disse: Os outros homens necessitam perguntar aos estranhos quem eles são, donde vêm e o que desejam. Nós, pelo contrário, como primeira prova da nossa ciência, já sabemos tudo isso; julgai-o por vós mesmo. O clarividente contou então a Apol¬lonius os principais acontecimentos da sua vida, falou-lhe da sua família, de seu pai, de sua mãe, do que ele tinha feito, etc., etc. Apollonius, cheio de admiração, suplicou então aos brâma¬nes que o iniciassem nessa ciência tão profunda, tão sobre-hu¬mana, o que lhe foi concedido. Depois de ter completado seus anos de provas, voltou à Europa, onde sua clarividência e as curas que fez maravilharam a todo o mundo. Eis agora uma tentativa de explicação dos fenômenos de levitação, segundo o Sr. Ernest Bosc, autor de diversas obras de ciência oculta: Sabe-se que a Terra é um imenso ímã; diversos sábios o tem dito, entre outros, Paracelso. A Terra está portanto carregada duma eletricidade que denominaremos eletricidade positiva, gerada incessantemente no seu interior ou centro, que é um centro de movimento. Tudo o que vive sobre a superfície da Terra: animais, plantas, minerais, enfim, todos os corpos orgânicos, estão saturados de eletricidade negativa, isto é, eles se carregam espontaneamente, constantemente e duma maneira automática, por assim dizer, de eletricidade ne¬gativa, isto é, da qualidade contrária à da Terra. O peso ou a força de gravidade não é mais que o resultado da atração ter¬restre; sem esta, não haveria peso, e o peso é proporcional à atração, isto é, se esta for duas, trás ou quatro vezes mais forte, o peso da Terra será duas, trás ou quatro vezes maior. Portanto, se o homem chegasse a vencer essa força atra¬tiva, não haveria razão que o obstasse a se elevar ao ar, como o peixe o faz na água. Por outro lado, sabemos que o nosso organismo físico pode ser vivamente influenciado pela ação duma vontade enér¬gica; esta ação da vontade pode, 3 pois transformar o estado de eletricidade negativa do homem em eletricidade positiva; então, sendo a Terra e o homem de eletricidade isônomas, se re¬pelem; desaparecendo a lei de gravidade, é fácil ao homem elevar-se no ar enquanto durar a força repulsiva. O grau de levitação varia, pois, de acordo com a intensidade, a capaci¬dade e a carga elétrica positiva que ele pode condensar no seu corpo. Desde que um homem pode à von...
ma eletricidade que denominaremos eletricidade positiva, gerada incessantemente no seu interior ou centro, que é um centro de movimento. Tudo o que vive sobre a superfície da Terra: animais, plantas, minerais, enfim, todos os corpos orgânicos, estão saturados de eletricidade negativa, isto é, eles se carregam espontaneamente, constantemente e duma maneira automática, por assim dizer, de eletricidade ne¬gativa, isto é, da qualidade contrária à da Terra. O peso ou a força de gravidade não é mais que o resultado da atração ter¬restre; sem esta, não haveria peso, e o peso é proporcional à atração, isto é, se esta for duas, trás ou quatro vezes mais forte, o peso da Terra será duas, trás ou quatro vezes maior. Portanto, se o homem chegasse a vencer essa força atra¬tiva, não haveria razão que o obstasse a se elevar ao ar, como o peixe o faz na água. Por outro lado, sabemos que o nosso organismo físico pode ser vivamente influenciado pela ação duma vontade enér¬gica; esta ação da vontade pode, 3 pois transformar o estado de eletricidade negativa do homem em eletricidade positiva; então, sendo a Terra e o homem de eletricidade isônomas, se re¬pelem; desaparecendo a lei de gravidade, é fácil ao homem elevar-se no ar enquanto durar a força repulsiva. O grau de levitação varia, pois, de acordo com a intensidade, a capaci¬dade e a carga elétrica positiva que ele pode condensar no seu corpo. Desde que um homem pode à von...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google