Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Espiritualidade / 10 % - O Dizimo nos dias atuais
10 % - O Dizimo nos dias atuais

Livro: 10 % - O Dizimo nos dias atuais

Autor - Fonte: Autores Diversos

Ir para a página:

...Autores Diversos 2 Dízimo : Será doutrina neotestamentária ? Estará a lei do dízimo em vigor no Novo Testamento ? Tratando-se dum assunto um tanto polêmico, que tem dividido as opiniões, pois uns defendem que a lei do dízimo está em vigor, pelo que, quem não der à sua igreja 10% do seu vencimento está a roubar a Deus, enquanto outros defendem que, tratando-se duma lei do Velho Testamento, está revogada assim como toda a velha Lei. Decidi abordar o problema, com a intenção de ajudar quem tiver interesse no assunto, ou quem não tenha oportunidade de ouvir as duas opiniões para poder tirar as suas conclusões. Tencionava inicialmente, pedir a duas pessoas conhecedoras da Bíblia, mas de opiniões contrárias, que pusessem por escrito as suas opiniões, mas, em vez disso, resolvi publicar a seguinte série de cartas, que teve origem num artigo duma revista evangélica, que apresento em primeiro lugar, seguido da minha carta, em que reajo a esse artigo, seguindo-se uma troca de cartas sobre o assunto, com um Pastor que teve a amabilidade de compilar uma grande quantidade de argumentos a favor do dízimo nos nossos dias. Embora tenha idéias divergentes desse Pastor com quem contatei, penso que ele fez um bom trabalho, compilando todos os argumentos de quem defende a doutrina do dízimo nos nossos dias, e fê-lo sempre de forma digna, utilizando linguagem correta, pelo que optei pela divulgação destes documentos, que estão por ordem cronol...
gica embora fossem ligeiramente alterados ao suprimir partes que continham assuntos pessoais e não diziam respeito ao assunto de que estamos a tratar. 3 Introdução - Dar ! . Não dar ? . (Artigo publicado numa revista evangélica) I - O Dízimo está na lei de Deus. 1.300 anos antes de Cristo. Deus ordenou que seus filhos trouxessem o Dízimo, oferta alçada, oferta voluntária, holocaustos e outros votos, ao lugar de culto. Deuteronómio 12:5/6, 12:11; 14:22. II - O Dízimo está nos profetas. 800 anos mais tarde, ou 500 anos antes de Cristo. O profeta do Senhor confirma e atualiza a lei, não só em relação ao Dízimo, mas também sobre ofertas alçadas, dizendo mesmo ser roubo não pagá-los e declarando, em nome do Senhor, haver maldição ao infrator. Malaquias 3:7/10. III - O Dízimo está nas palavras de Jesus Cristo. 600 anos após o profeta e 1.300 depois da lei, Jesus Cristo, nosso único mestre Mateus 23:7/10, confirma a lei e os profetas, e afirma que NINGUÉM DEVE DEIXAR DE PAGAR O DÍZIMO. Mateus 23:23; Lucas 11:42. Portanto, deixar de pagar o Dízimo é ir de encontro à Palavra de Cristo, é desobedecer a Cristo, é discordar de Cristo, é renegar o ensino de Cristo. IV - O Dízimo está antes da Lei. 2.000 anos antes de Cristo e 700 anos antes da Lei. Abraão, o patriarca, pagou o Dízimo de tudo ao sacerdote Melquisedec, rei de Salém, rei da Justiça. Hebreus 7:1/2; Génesis 14:18/20. V - O Dízimo está em vigor até a volta de Cristo. Jesus Cristo é sacerdote segundo a ordem de Melquisedec o qual recebeu Dízimo, e não segundo a ordem levítica. Os filhos de Levi têm ordem, segundo a Lei, de tomar Dizimo, do povo isto é, dos seus irmãos Hebreus 7:5. Estes, “certamente tomam dízimos homens que morrem”. “ali”, (Jesus Cristo, o qual toma Dízimo também). “Aquele de quem se testifica que vive" Hebreus 7:8. Pelas palavras do escritor da carta aos Hebreus, 60 anos depois da palavra de Cristo, vemos o Dízimo pertencendo ao sacerdócio de Levi e ao sacerdócio de Melquisedec, e Jesus segundo a ordem de Melquisedec Hebreus 7:21, isto é sacerdote eterno Hebreus 7:24, cujo sacerdócio está até hoje e para sempre. O Dízimo segundo Hebreus capítulo 7, foi antes do sacerdócio levítico, durante o mesmo e continua depois do mesmo; é mandamento portanto da lei e da graça: da velha e da nova dispensação de que Cristo é o Sumo Sacerdote. Logo o Dízimo é mandamento de Deus, para todos seus filhos, em vigor, até à volta de Cristo. CONCLUSÃO: Quem não paga o Dízimo é porque não concorda com Cristo e Sua Palavra. Quem não paga o Dizimo não ama a Cristo, João 14:21/24; 15:14, pois é o melhor modo que Nosso Senhor achou para seus discípulos contribuírem. 4 Quem não paga o Dízimo sofrerá o que está escrito em Mateus 7:21/27; I Coríntios 16:22. CARTAS DE PORTUGAL 1ª carta Exmo. Pastor . Recebi o último número da sua publicação .Por discordar da sua...
risto. Jesus Cristo é sacerdote segundo a ordem de Melquisedec o qual recebeu Dízimo, e não segundo a ordem levítica. Os filhos de Levi têm ordem, segundo a Lei, de tomar Dizimo, do povo isto é, dos seus irmãos Hebreus 7:5. Estes, “certamente tomam dízimos homens que morrem”. “ali”, (Jesus Cristo, o qual toma Dízimo também). “Aquele de quem se testifica que vive" Hebreus 7:8. Pelas palavras do escritor da carta aos Hebreus, 60 anos depois da palavra de Cristo, vemos o Dízimo pertencendo ao sacerdócio de Levi e ao sacerdócio de Melquisedec, e Jesus segundo a ordem de Melquisedec Hebreus 7:21, isto é sacerdote eterno Hebreus 7:24, cujo sacerdócio está até hoje e para sempre. O Dízimo segundo Hebreus capítulo 7, foi antes do sacerdócio levítico, durante o mesmo e continua depois do mesmo; é mandamento portanto da lei e da graça: da velha e da nova dispensação de que Cristo é o Sumo Sacerdote. Logo o Dízimo é mandamento de Deus, para todos seus filhos, em vigor, até à volta de Cristo. CONCLUSÃO: Quem não paga o Dízimo é porque não concorda com Cristo e Sua Palavra. Quem não paga o Dizimo não ama a Cristo, João 14:21/24; 15:14, pois é o melhor modo que Nosso Senhor achou para seus discípulos contribuírem. 4 Quem não paga o Dízimo sofrerá o que está escrito em Mateus 7:21/27; I Coríntios 16:22. CARTAS DE PORTUGAL 1ª carta Exmo. Pastor . Recebi o último número da sua publicação .Por discordar da sua doutrina, decidi devolver. No entanto, pelo respeito que o Pastor me merece, pois penso que está a fazer trabalho útil para o Senhor, decidi escrever estas linhas. Embora nem sempre me manifeste, quando são pormenores secundários, já o mesmo não acontece quando se trata de pormenores doutrinários importantes como é o caso presente. Refiro-me ao artigo “Dar !. Não Dar ? .” Em que se pretende pôr em vigor a lei do dízimo nos nossos dias. Nesse ponto, tenho de reagir, não com o vigor com que o faria o autor das carta aos Gálatas, mas com as fracas possibilidades que tenho. Segundo os claros ensinos das epístolas paulinas, em especial Gálatas 5:18 e Filipenses 3:9 o crente cristão não está debaixo da lei que foi dada ao povo de Israel. Se o assunto em questão é duma maneira geral a contribuição e o dízimo em particular, entendo que uma abordagem séria e honesta do assunto deveria começar pelo estudo das passagens didáticas sobre a contribuição neotestamentária com por exemplo I Coríntios 16:1/2, II Coríntios 8:1/3 ( . deram voluntariamente), II Coríntios 9:7 (.nem por constrangimento.), Filipenses 4:14/16. Quero também mencionar as conclusões da Assembleia de Jerusalém sobre o nosso caso, isto é, sobre o crente gentio em face da lei judaica. Atos 15:4/5, Atos 15:19/20. Estas são as passagens que deveriam ser consultadas de acordo com as boas regras da hermenêutica, e não encontro nelas qualquer referência ao d...
doutrina, decidi devolver. No entanto, pelo respeito que o Pastor me merece, pois penso que está a fazer trabalho útil para o Senhor, decidi escrever estas linhas. Embora nem sempre me manifeste, quando são pormenores secundários, já o mesmo não acontece quando se trata de pormenores doutrinários importantes como é o caso presente. Refiro-me ao artigo “Dar !. Não Dar ? .” Em que se pretende pôr em vigor a lei do dízimo nos nossos dias. Nesse ponto, tenho de reagir, não com o vigor com que o faria o autor das carta aos Gálatas, mas com as fracas possibilidades que tenho. Segundo os claros ensinos das epístolas paulinas, em especial Gálatas 5:18 e Filipenses 3:9 o crente cristão não está debaixo da lei que foi dada ao povo de Israel. Se o assunto em questão é duma maneira geral a contribuição e o dízimo em particular, entendo que uma abordagem séria e honesta do assunto deveria começar pelo estudo das passagens didáticas sobre a contribuição neotestamentária com por exemplo I Coríntios 16:1/2, II Coríntios 8:1/3 ( . deram voluntariamente), II Coríntios 9:7 (.nem por constrangimento.), Filipenses 4:14/16. Quero também mencionar as conclusões da Assembleia de Jerusalém sobre o nosso caso, isto é, sobre o crente gentio em face da lei judaica. Atos 15:4/5, Atos 15:19/20. Estas são as passagens que deveriam ser consultadas de acordo com as boas regras da hermenêutica, e não encontro nelas qualquer referência ao d...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google