Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Chico Xavier / Alvorada do Reino
Alvorada do Reino

Livro: Alvorada do Reino

Autor - Fonte: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

Ir para a página:

...FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER - Ditado pelo Espírito - Emmanuel PRISÃO Mentalizemos a criatura recolhida à prisão para relacionar-lhes os aflitivos problemas. Quase sempre chora sem lágrimas sob o azorrague do remorso a zurzir-lhe o espírito, arrependendo-se, tardiamente, da culpa que poderia ter evitado a preço de complacência. Dia e noite, o relógio assinala-lhe os instantes amargos que se acumulam em cristalizações de angústia que, freqüentemente, raiam no desespero. Padece doloroso banimento social, em compulsória distância daqueles que mais ama. Recebe surpresas ingratas na abjeção a que se vê relegada, seja na companhia dos elementos inferiores que lhe partilham a penitência ou na hostilidade daqueles que se lhe erigem, por inimigos sorridentes do cárcere. Além de tudo, porém, é constrangida a perder os patrimônios do tempo, de vez que a reclusão lhe subtrai preciosas oportunidades de aprimoramento e progresso. No símbolo, encontramos a posição aviltante que Jesus, por Divino Médico, procurou conjurar em nosso favor, exortando-nos ao perdão sem limites, porque, em verdade, malquerença e ressentimento, não são mais que perigosa enxovia mental, impedindo-nos a livre assimilação dos bens que a vida nos oferece, segregando-nos em algemas fluídicas que de enfermidade e de treva, entre as quais, muita vez, apressamos o passo da morte prematura. Não contes ofensas e chagas, pedradas e cicatrizes. Recorda que em tudo somos acalentados p...
lo amor incessante da Providência Divina e sigamos adiante, lembrando-nos de que, além da noite, o Sol brilha sem sombra, por mensagem de Deus, bradando a plenos Céus, a vitória da luz. Se tudo é desespero e conturbação, onde te encontras, compadece-te ainda, ampara e espera, sem reclamar. Perversidade e crítica expressam aridez e secura capazes de arruinar-te a esperança. INDICE Prisão No Serviço Da Luz Não Desfalecer No Serviço Do Senhor Exaltemos A Vida Na Peregrinação Cristã Na Sementeira De Cada Dia Na Senda De Ascensão Na Senda Renovadora No Campo De Provas No Campo Do Destino No Templo Doméstico Obter Ofensa Piedade Em Casa Posses Terrestres Quando Em Súplica Na Preparação Do Reino Da Luz Servidor Da Última Hora Assistência Social 3 4 NO SERVIÇO DA LUZ Emmanuel Não ouvides que todos os perseguidores da luz são habitualmente enfermos do espírito acomodados ao mal. Muitos trazem no peito o vulcão do ódio, exalando os fluidos comburentes do fogo devorador que lhes consome a vida, a se enovelarem, pouco a pouco, nas teias da loucura, quando o crime não lhes colhe a existência; outros, transportam no coração a chaga da cobiça ou da inveja a verminar-lhes o seio e ainda outros se abismam nos labirintos da ambição desregrada, abrindo para si mesmos a cova de dor, a que descerão para a bênção expiatória . Outros muitos, sofrem, no imo d’alma, a infestação do vício que os transforma em presa fácil dos empreiteiros da sombra e quase todos padecem na própria mente o assalto da ignorância em que se fazem, desavisados , instrumentos soezes da miséria e da insânia em verdadeiro flagelo público. Renteando com eles – pobres irmãos nossos que elegeram para si próprios a condição penosa de detratores – trata-os por doentes necessitados de socorro e medicamento. Conhecendo-os, de perto, lembrou Jesus no monte a bem-aventurança reservada no mundo aos que exerçam o perdão e a misericórdia. E, é ainda por esse motivo que, à última hora, circulando por eles, nos tormentos da cruz, o Senhor recomendou-os à Tolerância Divina, e, ao invés de aceitarlhes injúrias e desafios, preferiu segregá-los no hospital da oração. Observa o mundo ao redor de teus passos e perceberás, na desigualdade das situações, a Justiça Divina a expressar-se com a perfeição da sabedoria e do amor. 5 NÃO DESFALECER Emmanuel . “Orar sempre e nunca desfalecer.” – Lucas, 18:1. Não permitas que o serviço do próprio corpo te inabilite para a solução dos problemas externos, inclusive os da tua própria iluminação espiritual. Enquanto te encontras no plano de exercício, qual a Crosta da Terra, sempre serás defrontado pela dificuldade e pela dor. A lição dada é caminho para novas lições. Atrás do enigma resolvido, outros enigmas aparecem. Outra não pode ser a função da escola, senão ensinar, exercitar e aperfeiçoar. Enche-te, p...
a fácil dos empreiteiros da sombra e quase todos padecem na própria mente o assalto da ignorância em que se fazem, desavisados , instrumentos soezes da miséria e da insânia em verdadeiro flagelo público. Renteando com eles – pobres irmãos nossos que elegeram para si próprios a condição penosa de detratores – trata-os por doentes necessitados de socorro e medicamento. Conhecendo-os, de perto, lembrou Jesus no monte a bem-aventurança reservada no mundo aos que exerçam o perdão e a misericórdia. E, é ainda por esse motivo que, à última hora, circulando por eles, nos tormentos da cruz, o Senhor recomendou-os à Tolerância Divina, e, ao invés de aceitarlhes injúrias e desafios, preferiu segregá-los no hospital da oração. Observa o mundo ao redor de teus passos e perceberás, na desigualdade das situações, a Justiça Divina a expressar-se com a perfeição da sabedoria e do amor. 5 NÃO DESFALECER Emmanuel . “Orar sempre e nunca desfalecer.” – Lucas, 18:1. Não permitas que o serviço do próprio corpo te inabilite para a solução dos problemas externos, inclusive os da tua própria iluminação espiritual. Enquanto te encontras no plano de exercício, qual a Crosta da Terra, sempre serás defrontado pela dificuldade e pela dor. A lição dada é caminho para novas lições. Atrás do enigma resolvido, outros enigmas aparecem. Outra não pode ser a função da escola, senão ensinar, exercitar e aperfeiçoar. Enche-te, pois, de calma e bom ânimo, em todas as situações. Foste colocado entre obstáculos mil de natureza estranha para que, vencendo inibições fora de ti, aprendas a superar as próprias limitações. Enquanto a comunidade terrestre não se adaptar à nova luz, respirarás cercado de lágrimas inquietantes, de gestos impensados e de sentimentos escuros. Dispõe-te a desculpar e auxiliar sempre, a fim de que não percas a gloriosa oportunidade de crescimento espiritual. Lembra-te de todas as aflições que rodearam o espírito cristão, no mundo, desde a vinda do Senhor. Onde está o Sinédrio que condenou o Amigo Celeste à morte? Onde os romanos vaidosos e dominadores? Onde os verdugos da Boa Nova nascente? Onde os guerreiros que desabotoaram, em torno do Evangelho, rios escuros de sangue e suor? Onde os príncipes astutos que combateram e negociaram em nome do Renovador Crucificado? Onde as trevas da Idade Média? Onde os políticos e inquisidores de todos os matizes que feriram, em nome do Excelso Benfeitor? Arrojados pelo tempo aos despenhadeiros de cinza, fortaleceram e consolidaram o pedestal de luz, em que a figura do Cristo resplandece, cada vez mais gloriosa, no governo dos séculos. Centraliza-te no esforço de auxiliar no bem comum, seguindo com a tua cruz, ao encontro da ressurreição divina. Nas surpresas constrangedoras da marcha, recorda que antes de tudo, importa orar sempre, trabalhando, servindo, aprendendo, amando e nunca desfalece...
ois, de calma e bom ânimo, em todas as situações. Foste colocado entre obstáculos mil de natureza estranha para que, vencendo inibições fora de ti, aprendas a superar as próprias limitações. Enquanto a comunidade terrestre não se adaptar à nova luz, respirarás cercado de lágrimas inquietantes, de gestos impensados e de sentimentos escuros. Dispõe-te a desculpar e auxiliar sempre, a fim de que não percas a gloriosa oportunidade de crescimento espiritual. Lembra-te de todas as aflições que rodearam o espírito cristão, no mundo, desde a vinda do Senhor. Onde está o Sinédrio que condenou o Amigo Celeste à morte? Onde os romanos vaidosos e dominadores? Onde os verdugos da Boa Nova nascente? Onde os guerreiros que desabotoaram, em torno do Evangelho, rios escuros de sangue e suor? Onde os príncipes astutos que combateram e negociaram em nome do Renovador Crucificado? Onde as trevas da Idade Média? Onde os políticos e inquisidores de todos os matizes que feriram, em nome do Excelso Benfeitor? Arrojados pelo tempo aos despenhadeiros de cinza, fortaleceram e consolidaram o pedestal de luz, em que a figura do Cristo resplandece, cada vez mais gloriosa, no governo dos séculos. Centraliza-te no esforço de auxiliar no bem comum, seguindo com a tua cruz, ao encontro da ressurreição divina. Nas surpresas constrangedoras da marcha, recorda que antes de tudo, importa orar sempre, trabalhando, servindo, aprendendo, amando e nunca desfalece...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google