Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Chico Xavier / Aceitação e Vida
Aceitação e Vida

Livro: Aceitação e Vida

Autor - Fonte: Francisco Cândido Xavier

Ir para a página:

...FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER - ESPÍRITO MARGARIDA Amigos espirituais velam sempre junto à nossa cabeceira, nas horas de preocupação e insônia e, freqüentemente quando desorientadas influencias nos incitam ao desvio, sopram-nos aos ouvidos espirituais as regras do código do dever. ÍNDICE Capítulo 01 . 03 Capítulo 02 . 04 Capítulo 03 . 06 Capítulo 04 . 08 Capítulo 05 . 09 Capítulo 06 . 11 Capítulo 07 . 12 Capítulo 08 . 14 Capítulo 09 . 15 Capítulo 10 . 17 Capítulo 11 . 18 Capítulo 12 . 19 Capítulo 13 . 20 I – BELO HORIZONTE MAIO – 1934 A Mãe das Mães Que os sacrossantos eflúvios do amor, d’aquela que é a Mãe das Mães, se infiltrem em nossas orações! O Código do Dever Amigos espirituais velam sempre junto à nossa cabeceira, nas horas de preocupação e insônia e, freqüentemente quando desorientadas influencias nos incitam ao desvio, sopram-nos aos ouvidos espirituais as regras do código do dever. O Livro da Paciência Leiamos o livro da paciência e da resignação. As suas folhas são como a esperança e os caracteres inscritos nas suas páginas são lindos como se fossem confeccionados com pequeninas gotas estelíferas, assemelhando-se aos prantos salvadores. As suas lições são úteis e proveitosas Ensinam-nos tudo quanto pode nobilitar a esposa, a irmã e a mãe querida, elas preparam o coração da mulher que tem uma força misteriosamente prodigiosa para vencer os sofrimentos que arrebatam os e...
píritos dos lamaçais da terra para as paisagens deslumbrantes do firmamento constelado. Sejamos, pois, resignados aos desígnios de Deus e humildes nas provações da terra. Não podemos transformar tudo de um momento para o outro, porém, com a vontade Divina, conseguiremos vencer. Onde não mais pudermos descerá dos céus a força precisa a nos dar esperança e amparo. O Escopo da Dor Não se pode fugir à provação. É a dor que burila os corações para a felicidade perfeita. Sob o trabalho do seu escopo muito sofremos; ela, porém, está fazendo a arte animada e inimitável da vida que é obra de Deus. Coragem e resignação! Perseverança e fé! Sobretudo muita humildade. Deus derrame a paz em nossos lares e em nossos corações! II – PEDRO LEOPOLDO 26 – 11 – 1935 O Manto de Virtudes Que a Virgem Piedosa envolva os (nossos) corações amorosos e sensíveis nas dobras luminosas do seu manto divino, constelado de todas as virtudes, concedendo-lhes (nos) força, resignação e fé. O Orvalho Celeste A existência terrena é estrada espinhosa das provações ásperas e amargas, mas redentoras. As lutas domésticas hão recrudescido, os espinhos da prova dilaceram-nos a alma, contudo, não nos faltarão mãos desveladas e carinhosas do plano espiritual, as quais, apesar da sua intangibilidade, derramarão sobre o mundo interior o orvalho celeste dos mais sagrados confortos. Provação e Resgate Vamos todos resgatando dívidas de passados delituosos e obscuros. É por isso que, muitas vezes, enquanto ao mundo se afigura nossa aparente felicidade, sofremos resignadamente, porque essa mesma sociedade que nos sorri desconhece o labirinto de nossas inquietações. A Rosa de Nazaré Os benfeitores espirituais, que buscam amparar-nos o coração em provas no lar, sabem de todas as nossas angustias materiais; em todas elas, porém, lembram-nos daquela que ainda hoje é mãe de todas as mães. Receber a sacrossanta missão da maternidade é copiar a alma da Rosa de Nazaré, que soube sorver até a última gota a taça de fel das próprias amarguras. Recordemos o desvelado amor desse Anjo das mães sofredoras e incompreendidas e sentiremos no íntimo a força poderosa da resistência. A Grinalda e a Auréola Nem sempre, a grinalda de flores de laranjeira tem a delicada contextura dos sonhos que arquitetamos ao buscar o laço sacrossanto que nos une a outro ser na existência terrestre; muitas vezes esse traço romântico é o símbolo perfeito daquela auréola de espinhos com que se premiou no mundo o sonho de perfeição daquele que é sempre o Mestre Divino de todos os mestres. Nosso Santelmo O doce licor do ideal como o criamos em nossa imaginação, torna-se com o tempo, como aquele vinha amargo cujo gosto cruel foi levado aos divinos lábios, no cimo da cruz. A vida na terra tem desses contrastes e dessas dores rudes. Não nos assustemos porém, em face do destino. Muito venceremos, algumas ve...
dos delituosos e obscuros. É por isso que, muitas vezes, enquanto ao mundo se afigura nossa aparente felicidade, sofremos resignadamente, porque essa mesma sociedade que nos sorri desconhece o labirinto de nossas inquietações. A Rosa de Nazaré Os benfeitores espirituais, que buscam amparar-nos o coração em provas no lar, sabem de todas as nossas angustias materiais; em todas elas, porém, lembram-nos daquela que ainda hoje é mãe de todas as mães. Receber a sacrossanta missão da maternidade é copiar a alma da Rosa de Nazaré, que soube sorver até a última gota a taça de fel das próprias amarguras. Recordemos o desvelado amor desse Anjo das mães sofredoras e incompreendidas e sentiremos no íntimo a força poderosa da resistência. A Grinalda e a Auréola Nem sempre, a grinalda de flores de laranjeira tem a delicada contextura dos sonhos que arquitetamos ao buscar o laço sacrossanto que nos une a outro ser na existência terrestre; muitas vezes esse traço romântico é o símbolo perfeito daquela auréola de espinhos com que se premiou no mundo o sonho de perfeição daquele que é sempre o Mestre Divino de todos os mestres. Nosso Santelmo O doce licor do ideal como o criamos em nossa imaginação, torna-se com o tempo, como aquele vinha amargo cujo gosto cruel foi levado aos divinos lábios, no cimo da cruz. A vida na terra tem desses contrastes e dessas dores rudes. Não nos assustemos porém, em face do destino. Muito venceremos, algumas vezes pensando em nossos filhos bem amados, em outras ponderando sobre o amor de nossos pais carinhosos, dignos de toda a nossa mais respeitosa afeição, se nos levarmos sempre pelos caminhos da fé inabalável. Essa fé é o nosso santelmo no meio da tempestade. Não a deixemos nunca, porque ela é um laço suave unindo nossa alma a quantos do Além seguem desveladamente os nossos passos, cooperando pela nossa evolução espiritual. Diante da Incompreensão Junto aos nossos companheiros de Jornada Terrestre, inúmeras vezes provamos o fel amargo da incompreensão. Façamos o possível para adaptar todas as nossas aspirações dentro do Evangelho. Não nos impressionemos com as atitudes incompreensíveis daqueles a quem nos ligarmos pelo código do Dever. Se o passado fala muito forte em seus corações, amemo-lhes intensamente, entregando-lhes a Deus. Serviço, Prece e Jesus Ao sentirmos o coração sensibilíssimo humilhado diante das atitudes insólitas daqueles que não nos compreendem no tocante às dedicações e renúncias do lar, vençamos a estranheza dessas situações, entregando a alma ao serviço, o pensamento à prece e o coração a Jesus. O Ideal da Serenidade Muitas vezes fazemos uma concepção muito elevada da nobreza espiritual, da delicadeza e do cavalheirismo, levando longe nossos sentimentos nesse sentido. Por essa razão, muitas vezes, sentimos dificuldade de perdoar muito, não obstante já termos perdoado em demasia. A redenção p...
zes pensando em nossos filhos bem amados, em outras ponderando sobre o amor de nossos pais carinhosos, dignos de toda a nossa mais respeitosa afeição, se nos levarmos sempre pelos caminhos da fé inabalável. Essa fé é o nosso santelmo no meio da tempestade. Não a deixemos nunca, porque ela é um laço suave unindo nossa alma a quantos do Além seguem desveladamente os nossos passos, cooperando pela nossa evolução espiritual. Diante da Incompreensão Junto aos nossos companheiros de Jornada Terrestre, inúmeras vezes provamos o fel amargo da incompreensão. Façamos o possível para adaptar todas as nossas aspirações dentro do Evangelho. Não nos impressionemos com as atitudes incompreensíveis daqueles a quem nos ligarmos pelo código do Dever. Se o passado fala muito forte em seus corações, amemo-lhes intensamente, entregando-lhes a Deus. Serviço, Prece e Jesus Ao sentirmos o coração sensibilíssimo humilhado diante das atitudes insólitas daqueles que não nos compreendem no tocante às dedicações e renúncias do lar, vençamos a estranheza dessas situações, entregando a alma ao serviço, o pensamento à prece e o coração a Jesus. O Ideal da Serenidade Muitas vezes fazemos uma concepção muito elevada da nobreza espiritual, da delicadeza e do cavalheirismo, levando longe nossos sentimentos nesse sentido. Por essa razão, muitas vezes, sentimos dificuldade de perdoar muito, não obstante já termos perdoado em demasia. A redenção p...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google