Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Espiritismo / O dia das pequenas coisas
O dia das pequenas coisas

Livro: O dia das pequenas coisas

Autor - Fonte: Stephen Kaunf

Ir para a página:

...No sétimo mês, ao Vigésimo-primeiro dia do mês, veio a palavra do Senhor por intermédio do profeta Ageu, dizendo: Fala, agora, a Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, e ao restante do povo, dizendo: Quem restou dentre vós que tenha contemplado esta casa na sua primeira glória? E como a vedes agora? Não é ela como nada aos vossos olhos? Ora, pois, sê forte, Zorobabel, diz o Senhor, e sê forte, Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e tu, todo o povo da terra, sê forte, diz o Senhor, e trabalhai, porque eu sou convosco, diz o Senhor dos Exércitos. A palavra da aliança que fiz convosco, quando saístes do Egito, e o meu Espírito permanecem entre vós; não temais. Pois assim diz o Senhor dos Exércitos: Ainda uma vez, dentro em pouco, farei abalar o céu, a terra, o mar e a terra seca; farei abalar todas as nações, e o desejo de todas as nações virá, e encherei de glória esta casa, diz o Senhor dos Exércitos. Minha é a prata, meu é o ouro, diz o Senhor dos Exércitos. A última glória desta casa será maior do que a primeira, diz o Senhor dos Exércitos; e neste lugar darei a paz, diz o Senhor dos Exércitos. (Ageu 2:1-9; Darby ) E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: As mãos de Zorobabel lançaram os fundamentos desta casa e elas mesmas a terminarão, e vós sabereis que o Senhor dos Exércitos é quem me enviou a vós outros. Pois quem desprezou o dia das pequenas coisas? Sim, es...
es regozijarão - estes sete mesmos - e verão o prumo na mão de Zorobabel: estes são os olhos do Senhor, que percorrem toda a terra. (Zacarias 4:8-10; Darby) Tenho certeza de que vocês lembram da história de como os filhos de Israel foram levados para o cativeiro, na Babilônia, por terem se rebelado contra Deus, e de como eles permaneceram lá por setenta anos. Então, pela soberana misericórdia de Deus, lhes foi permitido retornar da terra do cativeiro até Jerusalém para reconstruir a casa de Deus (o templo). Contudo, também precisamos lembrar que não foi por causa de sua condição espiritual que os filhos de Israel receberam permissão para retornar a Jerusalém. Eles não haviam mudado muito. O motivo foi a soberana misericórdia de Deus. Deus moveu o coração do Rei Ciro, da Pérsia, para que ele promulgasse o decreto dizendo que todo aquele que quisesse retornar à Jerusalém poderia fazê-lo. Aqueles que vivem para Deus precisam retornar Nós poderíamos pensar que provavelmente todo o povo de Israel que estava no cativeiro iria levantar-se e retornar. Infelizmente, não foi isso que aconteceu, e este fato revela a condição espiritual do povo. Após setenta anos na Babilônia, a maioria deles estava enraizada na terra do cativeiro. Durante esses setenta anos, eles haviam construído suas próprias casas e estabelecido seus próprios negócios. O povo no cativeiro havia recebido muita liberdade religiosa, ainda que não houvesse templo, uma vez que o templo de Jerusalém havia sido destruído. Entretanto, foi permitido aos judeus adorar a Deus; não no templo, mas, nas sinagogas. Passados setenta anos, haviam muitas sinagogas na terra do cativeiro. Mesmo após o juízo de Deus, a maioria do povo judeu vivia para si mesmo. Se você viver para você mesmo, então você ficará satisfeito mesmo vivendo na terra do cativeiro. Afinal de contas, suas propriedades e seus negócios estão lá. Você consegue obter até mesmo um certo grau de liberdade religiosa. Em outras palavras, sua consciência é apaziguada e subornada porque você ainda pode adorar a Deus, embora permaneça na terra do cativeiro. Portanto, a maioria do povo estava satisfeito em continuar vivendo na terra do cativeiro. Ainda que eles tivessem recebido permissão para retornar, eles nem consideraram retornar porque naquela época Jerusalém estava em ruínas. Não havia nada lá. A cidade estava cercada por inimigos. Por que você arrancaria suas raízes para retornar a uma terra que não tinha nada? Portanto, a maioria do povo vivia para si mesmo. Ainda que eles fossem o povo judeu - o povo escolhido de Deus - eles contudo viviam para si próprios. Entretanto, se você vive para Deus, você não pode permanecer na terra do cativeiro. Você tem que retornar para Jerusalém, pois Jerusalém é o lugar que Deus escolheu. Você tem que reconstruir o templo, a casa de Deus, porque é lá que o nome de Deus será exaltado. Somente um remanescente incluindo ho...
o templo de Jerusalém havia sido destruído. Entretanto, foi permitido aos judeus adorar a Deus; não no templo, mas, nas sinagogas. Passados setenta anos, haviam muitas sinagogas na terra do cativeiro. Mesmo após o juízo de Deus, a maioria do povo judeu vivia para si mesmo. Se você viver para você mesmo, então você ficará satisfeito mesmo vivendo na terra do cativeiro. Afinal de contas, suas propriedades e seus negócios estão lá. Você consegue obter até mesmo um certo grau de liberdade religiosa. Em outras palavras, sua consciência é apaziguada e subornada porque você ainda pode adorar a Deus, embora permaneça na terra do cativeiro. Portanto, a maioria do povo estava satisfeito em continuar vivendo na terra do cativeiro. Ainda que eles tivessem recebido permissão para retornar, eles nem consideraram retornar porque naquela época Jerusalém estava em ruínas. Não havia nada lá. A cidade estava cercada por inimigos. Por que você arrancaria suas raízes para retornar a uma terra que não tinha nada? Portanto, a maioria do povo vivia para si mesmo. Ainda que eles fossem o povo judeu - o povo escolhido de Deus - eles contudo viviam para si próprios. Entretanto, se você vive para Deus, você não pode permanecer na terra do cativeiro. Você tem que retornar para Jerusalém, pois Jerusalém é o lugar que Deus escolheu. Você tem que reconstruir o templo, a casa de Deus, porque é lá que o nome de Deus será exaltado. Somente um remanescente incluindo homens, mulheres e crianças e seus servos, não mais que cinqüenta mil pessoas, estavam dispostos a retornar. Eles estavam dispostos a serem desenraizados, a enfrentarem o perigo da viagem e retornar a Jerusalém, um lugar em ruínas, para reedificar a casa de Deus porque seus corações foram movidos pelo Espírito de Deus. Somente um remanescente vivia para Deus. Eles tinham que retornar e, de fato, retornaram. Graças a Deus por isso. O trabalho é interrompido Quando você lê a Bíblia, você nota que durante o tempo do cativeiro. Deus nunca é chamado de "o Deus dos céus e da terra". Evidentemente, nosso Deus é o Deus dos céus e da terra, porque Ele criou os céus e a terra. Mas estranhamente, durante o período do cativeiro babilônico. Deus nunca é chamado como "Deus dos céus e da terra". Qual é a razão disso? Isso ocorreu porque Deus não tinha testemunho na terra. Ele havia confiado seu nome ao seu povo, mas o povo estava no cativeiro. Ele colocou seu nome em Jerusalém, mas Jerusalém se encontrava em ruínas. Ele deveria encher o templo em Jerusalém com sua glória, mas o templo estava completamente destruído. Portanto, Deus não era reconhecido na terra. Mesmo que Ele ainda fosse o Deus da terra, Ele não era reconhecido como tal. Não havia testemunho sobre esta terra. Portanto, logo que o remanescente retornou à terra da Judéia, sua primeira preocupação foi a reconstrução do templo. Eles lançaram os alicerces e se prepararam para constru...
mens, mulheres e crianças e seus servos, não mais que cinqüenta mil pessoas, estavam dispostos a retornar. Eles estavam dispostos a serem desenraizados, a enfrentarem o perigo da viagem e retornar a Jerusalém, um lugar em ruínas, para reedificar a casa de Deus porque seus corações foram movidos pelo Espírito de Deus. Somente um remanescente vivia para Deus. Eles tinham que retornar e, de fato, retornaram. Graças a Deus por isso. O trabalho é interrompido Quando você lê a Bíblia, você nota que durante o tempo do cativeiro. Deus nunca é chamado de "o Deus dos céus e da terra". Evidentemente, nosso Deus é o Deus dos céus e da terra, porque Ele criou os céus e a terra. Mas estranhamente, durante o período do cativeiro babilônico. Deus nunca é chamado como "Deus dos céus e da terra". Qual é a razão disso? Isso ocorreu porque Deus não tinha testemunho na terra. Ele havia confiado seu nome ao seu povo, mas o povo estava no cativeiro. Ele colocou seu nome em Jerusalém, mas Jerusalém se encontrava em ruínas. Ele deveria encher o templo em Jerusalém com sua glória, mas o templo estava completamente destruído. Portanto, Deus não era reconhecido na terra. Mesmo que Ele ainda fosse o Deus da terra, Ele não era reconhecido como tal. Não havia testemunho sobre esta terra. Portanto, logo que o remanescente retornou à terra da Judéia, sua primeira preocupação foi a reconstrução do templo. Eles lançaram os alicerces e se prepararam para constru...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google