Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Chico Xavier / Reportagens de Além Túmulo
Reportagens de Além Túmulo

Livro: Reportagens de Além Túmulo

Autor - Fonte: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER

Ir para a página:

...FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER Pelo Espírito HUMBERTO DE CAMPOS DO NOTICIARISTA DESENCARNADO .3 1 - AMARGURAS DE UM SANTO.5 2 - O IRMÃO SEVERIANO .8 3 - A VIDÊNCIA ESQUECIDA .11 4 - ESPÍRITOS PROTETORES.14 5 - O NATAL DIFERENTE.17 6 - O DRAMA DE ANDRÉ .20 7 - O TRANSPORTE REVELADOR .24 8 - O LIVRE PENSADOR .28 9 - DESAPONTAMENTO DE UM SUICIDA.33 10 - O INVESTIGADOR INCONSCIENTE.38 11 - O APELO INESPERADO .42 12 - A CURA COMPLEXA .46 13 - O TRABALHADOR FRACASSADO .50 14 - INVOCAÇÕES DIRETAS .54 15 - A GRANDE SURPRESA .57 16 - CARIDADE E DESENVOLVIMENTO.61 17 - A EXPERIÊNCIA DE CATARINO.65 18 - NARRADOR APENAS.70 19 - QUANDO FELISBERTO VOLTOU.74 20 - O VALOR DO TRABALHO.78 21 - A MOLÉSTIA SALVADORA .82 22 - O REMÉDIO À PREGUIÇA .86 23 - A SOLUÇÃO CARIDOSA.90 24 - A ESTRANHA INDICAÇÃO.94 25 - TRAGÉDIA OCULTA.99 26 - ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL .103 27 - DOIS COMPANHEIROS .108 28 - A QUEIXOSA.111 29 - O DIAGNÓSTICO.115 30 - MANIA DE ENFERMIDADE .119 31 - O DOUTRINADOR RIGORISTA.123 32 - A CRENTE INTERESSADA .127 33 - OBSESSÃO DESCONHECIDA.132 34 - A CONSELHEIRA INVIGILANTE .135 35 - PROSELITISMO DE ARRASTAMENTO.139 3 DO NOTICIARISTA DESENCARNADO A sepultura não é a porta do céu, nem a passagem para o inferno. É o bangalô subterrâneo das células cansadas - silencioso depósito do vestuário apodrecido. O homem não encontrará na morte mais do que vida e, no misterioso umbral, a grande surpresa é o encontro si mesmo....
Falar, pois, de homens e de espíritos, como se fossem expoentes de duas raças antagônicas, vale por falsa concepção das realidades eternas. As criaturas terrenas são, igualmente, Espíritos revestidos de expressões peculiares ao planeta. Eis a verdade que o Cristianismo restaurado difundirá nos círculos da cultura religiosa. Quanta gente aguarda a grande transição para regenerar costumes e renovar pensamentos? Entretanto, adiar a realização do bem é, sempre, menosprezar patrimônios divinos, agravando dificuldades futuras. O deslumbramento que invadiu as zonas de intercâmbio, entre as esferas visível e invisível, operou singulares atitudes nos aprendizes novos. Em círculos diversos, companheiros nossos, pelo simples fato de haverem transposto os umbrais do sepulcro, são convertidos, pelos que ficaram na Terra, em oráculos supostamente infalíveis; alguns amigos, porque encontraram benfeitores na zona espiritual, esquecem os serviços que lhes competem no esforço comum; médiuns necessitados de esclarecimentos são transformados em semi-deuses. A alegria da imortalidade embriagou a muitos estudiosos imprevidentes. Dorme-se ao longo de trabalhas valiosos e urgentes, à espera de mundos celestiais, como se o orbe terrestre não integrasse a paisagem do Infinito. É necessário, portanto, recordar que a existência humana é oportunidade preciosa no aprendizado para a vida eterna. Ensina-se-nos, aqui, que Espíritos protetores e perturbados, nobres e mesquinhos, podem ser encontrados nos planos visíveis e invisíveis. Cada criatura humana tem a sua cota de deveres e direitos, de compromissos e possibilidades. Zonas felizes e desventuradas permanecem nas consciências, na multiplicidade de posições mentais dos Espíritos eternos. Tanto na Terra como no Céu, a responsabilidade é lei. Neste quadro de observações, o Consolador é a escola divina destinada ao levantamento das almas. Urge, pois, que os discípulos se despreocupem do Espiritismo dos mortos, para colocar acima de todas as demonstrações verbalistas o Espiritismo dos vivos na eternidade. Dentro de cada aprendiz há um mundo a desbravar. 4 A Terra é também a grande universidade. Ninguém despreze a luta, o sofrimento, a dificuldade, o testemunho próprio. A luz, o bem, a sabedoria e o amor, a compreensão e a fraternidade, o cérebro esclarecido e as mãos generosas dependem do esforço pessoal, antes de tudo. O Sol ilumina o mundo, a chuva fecunda ti terra, a árvore frutifica, as águas suavizam a aridez do deserto; mas o homem deve caminhar por si mesmo. As maravilhas e dádivas da Natureza superior não eximem a criatura da obrigação de seguir com o Cristo, para Deus. Quando tantos companheiros dormem esquecendo o serviço, ou contendem por ninharias copiando impulsos infantis, trago-te, leitor amigo, estas reportagens despretensiosas - lembrança humilde de humilde noticiarista desencarnado. As experiências relacionad...
nobres e mesquinhos, podem ser encontrados nos planos visíveis e invisíveis. Cada criatura humana tem a sua cota de deveres e direitos, de compromissos e possibilidades. Zonas felizes e desventuradas permanecem nas consciências, na multiplicidade de posições mentais dos Espíritos eternos. Tanto na Terra como no Céu, a responsabilidade é lei. Neste quadro de observações, o Consolador é a escola divina destinada ao levantamento das almas. Urge, pois, que os discípulos se despreocupem do Espiritismo dos mortos, para colocar acima de todas as demonstrações verbalistas o Espiritismo dos vivos na eternidade. Dentro de cada aprendiz há um mundo a desbravar. 4 A Terra é também a grande universidade. Ninguém despreze a luta, o sofrimento, a dificuldade, o testemunho próprio. A luz, o bem, a sabedoria e o amor, a compreensão e a fraternidade, o cérebro esclarecido e as mãos generosas dependem do esforço pessoal, antes de tudo. O Sol ilumina o mundo, a chuva fecunda ti terra, a árvore frutifica, as águas suavizam a aridez do deserto; mas o homem deve caminhar por si mesmo. As maravilhas e dádivas da Natureza superior não eximem a criatura da obrigação de seguir com o Cristo, para Deus. Quando tantos companheiros dormem esquecendo o serviço, ou contendem por ninharias copiando impulsos infantis, trago-te, leitor amigo, estas reportagens despretensiosas - lembrança humilde de humilde noticiarista desencarnado. As experiências relacionadas, nestas páginas singelas, falam eloqüentemente de nossas necessidades individuais. Não devemos continuar na condição de meros beneficiários da Casa de Deus, reincidentes nas dívidas e falhas criminosas. A Providência nos oferece tesouros imperecíveis. O Pai repartiu a herança com magnanimidade e justiça. Não há filhos esquecidos e todos somos seus filhos. Trazendo-te, pois, meu esforço desvalioso, feito de coração para corações, termino afirmando que todas estas reportagens são reais e que, se os nomes das personagens obedecem à convenção da caridade fraternal, aqui não há ficções nem coincidências. Cada história representa um caso individual, no imenso arquivo das experiências humanas, para compreensão da vida eterna. Pedro Leopoldo, 8 de dezembro de 1942. Humberto de Campos 5 1 - AMARGURAS DE UM SANTO Falava-se numa roda espiritual da melhor maneira de cultivar a prece, quando um amigo sentenciou: - Uma herança perigosa dos espiritistas é a de transformar a memória de um companheiro desencarnado numa espécie de culto de falsa santidade. O bom trabalhador do Cristo não faz mais que cumprir um dever, e não é justo se lhe perturbe a serenidade espiritual com a repetição de cenas mundanas, perfeitamente idênticas, às cerimônias canônicas. Não raro, a morte arrebata do convívio terrestre um irmão consciencioso, dedicado, e imediatamente os amigos da Doutrina o transformam num tabu de fictícia inexpugnabilida...
as, nestas páginas singelas, falam eloqüentemente de nossas necessidades individuais. Não devemos continuar na condição de meros beneficiários da Casa de Deus, reincidentes nas dívidas e falhas criminosas. A Providência nos oferece tesouros imperecíveis. O Pai repartiu a herança com magnanimidade e justiça. Não há filhos esquecidos e todos somos seus filhos. Trazendo-te, pois, meu esforço desvalioso, feito de coração para corações, termino afirmando que todas estas reportagens são reais e que, se os nomes das personagens obedecem à convenção da caridade fraternal, aqui não há ficções nem coincidências. Cada história representa um caso individual, no imenso arquivo das experiências humanas, para compreensão da vida eterna. Pedro Leopoldo, 8 de dezembro de 1942. Humberto de Campos 5 1 - AMARGURAS DE UM SANTO Falava-se numa roda espiritual da melhor maneira de cultivar a prece, quando um amigo sentenciou: - Uma herança perigosa dos espiritistas é a de transformar a memória de um companheiro desencarnado numa espécie de culto de falsa santidade. O bom trabalhador do Cristo não faz mais que cumprir um dever, e não é justo se lhe perturbe a serenidade espiritual com a repetição de cenas mundanas, perfeitamente idênticas, às cerimônias canônicas. Não raro, a morte arrebata do convívio terrestre um irmão consciencioso, dedicado, e imediatamente os amigos da Doutrina o transformam num tabu de fictícia inexpugnabilida...

Ir para a página:

WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Busca Google