Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Matérias: / De Autoajuda / 13 mitos e verdades sobre a autoestima
auto estima baixa na praia

Matéria: 13 mitos e verdades sobre a autoestima

Autor - Fonte: Rosemeire Zago

11. Quando duvido de minha capacidade, de ser capaz, minha autoestima está baixa.

Verdade: Sempre.

12. A autoestima começa a se formar na infância.

Verdade: Autoestima começa a se formar na infância, a partir de como as outras pessoas nos tratam, mas também pode ser afetada pelos êxitos ou fracassos no decorrer da vida.

Quando criança pode-se alimentar ou destruir sua autoconfiança. Ou seja, as experiências do passado exercem influência significativa quando adulto. Pais exigentes, agressivos, críticos, autoritários, que demonstram que a criança não é digna de confiança, impondo suas próprias vontades, não ouvindo o que as crianças têm a dizer, criam filhos inseguros e dependentes.

A superproteção durante a infância também pode gerar muita insegurança quando adulto, pois essas pessoas quando crianças não foram incentivadas a acreditarem em si mesmas. Assim, crescem, ainda que inconscientemente, acreditando que faziam tudo por ela por não terem a capacidade de fazer por si mesma.

13. Ter sofrido algum tipo de abuso, seja físico, sexual, emocional, maus-tratos, durante a infância, pode comprometer a autoestima.

Verdade: Qualquer tipo de violência é tão apavorante para a criança que ela não consegue manter a própria identidade e passa a focar apenas o exterior e com o tempo ela perde a capacidade de gerar autoestima que vem do seu interior, não sabendo identificar quem ela é. A criança agredida acredita que é a única responsável pelo abuso de que é vítima. Além do que, uma criança impotente e ferida pode se transformar em um adulto agressor.

14. A baixa autoestima interfere em todas as áreas da vida, principalmente no campo profissional e afetivo.

Verdade: Sim, interfere nas relações como um todo, pois a pessoa tende a ser crítica, rígida, exigente, controladora, porque na verdade é insegura, não confia em sua própria capacidade, mantendo relações profissionais e/ou afetivas mesmo que sejam destrutivas. Quanto maior a autoestima mais possibilidades em manter relações saudáveis.

15. Uma pessoa que mantém relações destrutivas pode estar com baixa autoestima.

Verdade: Sim, pois em geral não consegue terminar uma relação, mesmo que traga muito sofrimento. E ainda pode fazer de tudo para agradar, cede em tudo, esquecendo e perdendo-se de si mesma. Tem muito medo de ficar só.

16. Quem é perfeccionista pode estar com autoestima baixa.

Verdade: Aquele que não permite erros, nem seu e nem dos outros, tudo tendo de ser perfeito, na verdade quer provar o quanto é capaz, porque ele mesmo não acredita em sua capacidade. Demonstra insegurança - não se permite errar e nem assume quando erra. A insegurança interna é compensada pelo perfeccionismo excessivo.

17. Manter um trabalho muito inferior a capacidade profissional pode ser um sinal de baixa autoestima.

Verdade: O sucesso não é garantia alguma de autoestima elevada, mas quem tem consciência de seu valor tende a buscar condições de exercê-lo.

18. Pessoas sempre preocupadas em agradar – o tipo bonzinho - está com autoestima elevada.

Mito: Quem faz de tudo para agradar é porque precisa do reconhecimento constante para se sentir importante, útil, porque no fundo não se aceita, não tem autoconfiança. Quer ser agradável para mostrar que sua presença é importante. É facilmente manipulada ou induzida a fazer o que não quer. Não consegue dizer “não”. Está sempre tentando adivinhar o que os outros querem que ela seja e como deve agir.

19. Conversar consigo mesmo pode ajudar a elevar a autoestima.

Verdade: Manter o diálogo interno, ou seja, conversar muito consigo mesmo, identificando seus sentimentos e suas necessidades, poderá ajudar muito nesse processo.

20. A psicoterapia ajuda a elevar a autoestima.

Verdade: Sim, é um dos caminhos mais indicados. Para elevar a autoestima é preciso se conhecer e para obter autoconhecimento o mais indicado é fazer uma psicoterapia com um profissional que estuda o comportamento humano – psicólogo. Ao realizar um processo de autoconhecimento a percepção de seu valor irá aumentar, que é o básico para uma elevada autoestima.

Quando nos conhecemos passamos a ter mais controle sob nossas emoções, há um maior equilíbrio entre a emoção e razão, ouvimos muito mais nossa voz interior, também conhecida como intuição e assim, dependemos muito menos da opinião de outras pessoas.

21. Autoestima elevada é confundida com egoísmo, narcisismo.

Verdade: Há uma tendência em classificar como egoísta quem pensa em seu desenvolvimento pessoal, em se realizar, evoluir. Desde criança somos ensinados a suprir a necessidade do outro, respeitar ao outro, mas somente podemos suprir e respeitar ao outro quando suprimos as próprias necessidades e respeitamos a nós mesmos. Queremos ser e conviver com pessoas submissas, manipuladas, exploradas, ou pessoas responsáveis, reali...

Ir para a página:


WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google