Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Matérias: / Mestre Osho / Consciência X Repressão
 Repressão

Matéria: Consciência X Repressão

Autor - Fonte: Osho

No passado algumas escolas de Yoga ensinavam como alcançar através da repressão. Pode essa abordagem ajustar-se para algumas pessoas hoje?

A primeira coisa: Nunca! - alguém que saiba jamais ensinou repressão.
Segundo: ninguém jamais alcançou através disso.

Como você pode suprimir uma parte de seu ser com outra parte? Isso é como tentar com sua mão direita derrotar sua mão esquerda. Você pode fingir. Após alguma atividade você pode fingir que a mão direita está por cima e a esquerda está suprimida. Mas você acha que ela está suprimida ou conquistada? Como você pode conquistar uma parte de seu próprio ser com outra parte? – só pretensões.

Se você reprimir o sexo, o brahmacharya será um fingimento, uma hipocrisia. Isso é apenas a mão direita mentindo e deitada aí, lhe ajudando a fingir. A qualquer momento isso pode perturbar tudo novamente, e isso irá perturbar. Isso que você conquistou tem que ser conquistado de novo e de novo, pois isso nunca é uma vitória real. No final você descobre que esteve lutando por toda a vida e nada foi realizado. De fato, só você será derrotado, nada mais. Sua vida inteira será derrotada.

Nenhum mestre que saiba, nenhum mestre que seja iluminado jamais pregou repressão.

Uma pessoa que deseja suprimir a fome e que começou a fazer um jejum, como os Jainistas fazem todo ano, que eles farão? Eles tentarão distrair a mente de alguma maneira a fim de que a fome não seja sentida. Eles cantarão m ntras, ou eles irão ao templo e recitarão sutras, ou eles irão até o lider religioso deles para ouví-lo, para que a mente fique ocupada, e assim eles não precisam prestar atenção a fome que está lá. Isso é supressão. Supressão significa: algo está aí e você não olha para isso e você finge que isso não está aí. Assim, se você estiver profundamente ocupado na mente, então a fome não pode penetrar e não pode chamar sua atenção para ela mesma. O fome continuará batendo na porta mas você está recitando um mantra tão alto que você não escuta a batida. Supressão significa distrair sua mente da realidade de seu ser.

Você sente fome. De fato, você nunca esteve faminto. O corpo tem estado com fome, você nunca esteve com fome. Porém, você está identificado com o corpo que, “Eu sou o corpo”. É por isso que você sente que está faminto. Quando você presta atenção a fome uma distância é criada, a identidade se rompe. A identificação não está mais aí. Você não é mais o corpo; o corpo está com fome e você é o observador. E subitamente surge em você uma liberdade jubilosa que “Eu não sou o corpo, eu nunca fui o corpo. O corpo está com fome, eu não estou faminto”.

A ponte é quebrada; você está separado. Que acontece, é miraculoso... Quando você está separado, quando a ponte é quebrada, você não fica identificado com o corpo, você não diz, “Eu sou o corpo”, você diz, “Eu estou no corpo, mas não sou o corpo. Eu moro nesta casa, mas não sou a casa. Eu estou nestas roupas, mas as roupas não sou eu”.
Quando você chega a conseguir isso – e eu digo conseguir pois intelectualmente você já sabe disso. Esse não é o ponto; você ainda não o realizou. Quando você o realiza através de profunda atenção a fome ou ao sexo ou a qualquer coisa, subitamente a ponte desaparece entre o corpo e a alma encorporada. Quando o intervalo está aí e você tornou-se uma testemunha, assim o corpo vive através da sua cooperação.

Quando com fome, a pessoa observa o fome, a cooperação não está aí. Isso é uma morte temporária. Você não está alimentando o corpo. Quando você não está alimentando o corpo, como o corpo pode sentir fome? – porque o corpo não pode sentir coisa nenhuma; o sentir é de seu ser. A fome pode estar aí no corpo, mas o corpo não pode sentir, ele não possui sentidores.

O jejum de um Mahavira ou de um Buddha é um jejum totalmente diferente do jejum dos Jainistas e dos Budistas. O brahmacharya de Mahavira é totalmente diferente do brahmacharya dos monges Jainistas. Mahavira não o está evitando, ele está simplesmente observando-o. Observando, isso desaparece. Testemunhando, isso não é encontrado ali. Evitando, isso lhe segue. De fato, não somente lhe segue, isso lhe assombra.

Nenhuma Yoga ensina repressão – não pode ensinar – mas existem yoguis que ensinam. Eles são professores; eles não compreenderam o ser mais íntimo deles. Portanto não existe nem mesmo uma pessoa que possa alcançar o estado búdico através da repressão. Isso não é possível, isso simplesmente não é possível. Através da consciência a pessoa alcança, não através da repressão.

Osho: Yoga: the Alpha and Omega


WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google