Whats: (11) 9 9191 6085

VÍDEO: POR QUE NOS PARECE QUE NADA DA CERTO

Você está em: Página inicial / Matérias: / Motivacional / Os benefícios de ser responsável por suas escolhas
Benefícios de ser responsável

Matéria: Os benefícios de ser responsável por suas escolhas

Autor - Fonte: Caio Cesar Santos

Acabei de ler um livro sensacional chamado Consciência nos Negócios, de Fred Kofman, e quero compartilhar alguns pontos de vista sobre a importância das escolhas que fazemos em nossas vidas. O primeiro passo é mergulhar no autoconhecimento para descobrir quem somos, porque estamos aqui e quais são os resultados das escolhas que temos feito em nossas vidas.

Em seguida, precisamos desenvolver habilidades para perceber como interagimos (corpo, mente e espírito) com as outras pessoas e com o universo físico (consciência coletiva).

Reunindo alguns conhecimentos e práticas nesta área, percebo que a interação entre estes três universos (Eu, Nós e Consciência Coletiva) poderia ser ilustrada da seguinte forma: Nesta interação, não existe borda ou separação, mas sim uma unicidade com um todo maior que permeia o universo do Eu, das pessoas (Nós) e reflete diretamente na consciência coletiva do mundo. Nossas crenças fundamentais criam uma matriz em nossa consciência que é a base para nossas escolhas.

Segundo Harry Palmer, autor de "Vivendo Deliberadamente": "Tal como adicionar uma única gota ao oceano causa mudanças microscópicas no volume, temperatura e correntes, sempre que um indivíduo muda sua crença, muda a matriz pelo qual a realidade coletiva se desenvolve. Mesmo para o mais isolado indivíduo, cada momento de felicidade, cada momento de tristeza, cada gentileza, cada pensamento crítico adiciona sua conseqüência na matriz para os eventos do mundo".

Além do mapeamento de nossas crenças e o desenvolvimento de habilidades para descriar aquelas que não são úteis em nossas vidas, algumas premissas podem servir de guia. Palmer destaca três caminhos para nortear nossas escolhas na vida: responsabilidade pessoal, compaixão e serviço aos outros.

Kofman, com uma abordagem corporativa, fala em oito pilares fundamentais: responsabilidade incondicional, integridade essencial, humildade ontológica, comunicação autêntica, negociação construtiva, coordenação impecável, competência emocional e serviço ao outro.

Destacando a premissa de responsabilidade pessoal, é importante estar consciente que, independente de qualquer situação externa, somos totalmente responsáveis por nossas escolhas.

Apesar de toda a doutrinação, que nos faz ter medo de errar e negar a responsabilidade pessoal, quando assumimos responsabilidade e percebemos que fazemos parte do problema podemos nos tornar parte da solução!

"Nós que já vivemos em campos de concentração, podemos nos lembrar dos homens que caminharam por entre os abrigos confortando os demais, oferecendo a outro seu último pedaço de pão. Pode ser que tenham sido poucos, em termos numéricos, mas nos dão prova suficiente de que tudo poderá ser retirado de um homem, menos uma coisa: a última das liberdades humanas. Escolher a atitude a tomar em qualquer conjunto de circunstâncias - a escolha de seu próprio caminho! É esta liberdade espiritual - que jamais poderá ser eliminada - que dá sentido a própria vida". Viktor Frankl
.
A sua vida pode ser representada por um avião e você é o piloto! Se você está voando e a turbina pega fogo, de quem é o problema?! Da manutenção que não fez o trabalho corretamente ou seu que está lá em cima no comando?

Fred destaca em seu livro algumas perguntas que nos ajudam a sair da condição de vítima e passar a assumir responsabilidade e ser protagonista de nossas histórias:

As perguntas que devem ser feitas para trazer à tona a história de vítima são:
O que aconteceu com você?
Quem o prejudicou?
O que estava errado (ou foi injusto) no que ele fez com você?
Por que ele fez isso com você?
O que ele deveria ter feito, em vez disso?
O que ele deveria fazer agora para reparar o dano?
Qual deve ser a punição dele?
As perguntas que dever ser feitas para trazer à tona a história de protagonista são:
Qual foi o desafio que você enfrentou?
Como você contribuiu (agindo ou não agindo) para criar esta situação?
Como você respondeu ao desafio?
Você poderia imaginar uma linha de ação mais eficaz do que a que foi adotada?
Você poderia ter se preparado de modo razoavelmente eficaz para reduzir o risco ou impacto desta situação?
Você poderia fazer alguma coisa neste momento para minimizar ou reparar os danos?
O que você pode aprender com esta experiência?
Agindo desta maneira você retoma o controle para dirigir as mudanças em sua vida.

Forte abraço e ótima semana a todos!


WhatsApp: (11) 9 9191 6085
Política de Privacidade
Política de Cookie
Busca Google